Quem sou eu

Minha foto
Um amante de esportes, em especial o futebol. Bacharel em Administração, pós-graduado em Finanças e Tecnologia da Informação. No futebol atuou na Vice-Presidência de Administração do Sport Club Internacional de 2007 a 2010 e de 2015 a 2016. Membro da Comissão de Laudos Técnicos dos Estádios pelo Ministério do Esporte e Coordenador-Geral de Modernização da Secretaria Nacional do Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor no Ministério do Esporte em 2011.

domingo, 8 de agosto de 2010

FERNANDÃO, ÍDOLO ETERNO

O termo "ídolo" é de origem grega e significa um objeto de adoração que representa materialmente uma entidade espiritual ou divina, e frequentemente é associado a ele poderes sobrenaturais, ou a propriedade de permitir uma comunicação entre os mortais e o outro mundo.

Na atualidade, permitimos que o termo "ídolo" saia da esfera divina para a esfera humana. É lugar comum a menção de pessoas famosas ou de destaque em sua área de atuação profissional como "ídolos", personalidades que se tornam, ou através da aclamação popular espontânea, ou através da atuação direta da própria mídia.

O esporte produz diversos ídolos, em especial o futebol. Temos ídolos nacionais como Pelé, Romário, Ronaldo, mas também ídolos especificamente dos clubes.

O Internacional em seus mais de 100 anos produziu diversos ídolos como Tesourinha, Carlitos, Larry, Bodinho, Valdomiro, Claudiomiro, Figueroa, Falcão e outros tantos. E não tem como esquecer de destacar o ídolo Fernandão, talvez para muitos o maior ídolo da história do Internacional. Difícil afirmar se foi o maior, mas com certeza está entre os maiores.

Fernandão honrou a camisa do Internacional desde os primeiros minutos em que vestiu, na sua estréia já se mostrou predestinado ao fazer o gol 1.000 na história dos clássicos Gre-Nal, o clássico de maior rivalidade do país. Isto foi em 2004, mesmo ano em que levou o Inter a retomar a participação em competições internacionais no segundo semestre na Copa Sul-Americana. Também se firma como carrasco em clássicos, tendo grande atuação no famoso "Gre-Nal do Caixão" onde em vitória por 3x1 no Olímpico, o Inter encaminhou o rebaixamento do rival.

Em 2005 mostrou toda a sua liderança e categoria comandando o clube para a conquista do Campeonato Gaúcho e vice-campeonato Brasileiro posição que nos classificou para a Libertadores do ano seguinte. O ano de 2006 foi especial, Abel Braga no início do ano classificou alguns jogadores que foram separados para uma preparação específica como "diamantes", Fernandão era um deles.

Líder em campo, nosso capitão foi o grande jogador da Libertadores da América 2006, goleador da competição, fez gols decisivos, além de grandes atuações. Na final fez o primeiro gol, deu o passe para o segundo e comandou o time para a grande conquista. A taça estava em suas mãos e o maior sonho colorado realizado.

Em dezembro de 2006 o ponto mais alto, o Inter conquista o Mundial de Clubes FIFA. Fernandão mais uma vez lidera o grupo e levanta a taça mais importante que um clube no mundo pode sonhar. Em 2007 está no grupo campeão da Recopa Sul-Americana, apesar de não jogar a final por problemas físicos. Um ídolo consolidado, de tratamento exemplar com o torcedor, capitão positivo para o grupo, exaltando o clube nas entrevistas, preocupado com o desenvolvimento das outras áreas do clube, elevando a marca do clube em todos os momentos.

O ano de 2008 foi de despedida, mas deixou algumas grandes atuações, entre elas a conquista da Dubai Cup contra a Internazionale, jogo que abriu o marcador e a final do Campeonato Gaúcho onde o Internacional humilhou o Juventude com inacreditáveis 8x1. Aos 30 anos, Fernandão deixou o clube no meio do ano acertando transferência para o Al-Gharafa com promessa de retorno. Um grande ídolo se despedia.

Fernandão sempre jurou amor ao Internacional, virou torcedor do Inter, motivo de orgulho para os colorados em cada entrevista do craque. Mas chegou o ano de 2009, Fernandão no meio do ano resolveu voltar para o Brasil e não acertou com o Internacional. Com discussões públicas sobre o não acerto, dividiu a torcida entre o ídolo e a direção.

Foi para o Goiás, clube que o formou e time do coração na infância, chegou como ídolo e mostrou que quando se prepara para jogos específicos acaba sendo decisivo, foi assim pelo Goiás contra o Corinthians na goleada de 4x1 no Pacaembu, contra o Flamengo no empate no Maracanã e na vitória do Goiás sobre o São Paulo por 3x2. No Goiás fez o trabalho para o Inter poder ganhar o Campeonato Brasileiro, porém não foi possível por parte do Colorado.

Mas 2010 outro capítulo envolveu Inter e Fernandão. Apesar dos pedidos da torcida colorada, o craque se transferiu para o São Paulo. De ídolo para adversário, o São Paulo era nosso maior adversário na luta pela conquista da Libertadores. Estreiou nas quartas de final contra o Cruzeiro e deu show na vitória são paulina por 2x0 no Mineirão, com direito a passe para os dois gols, sendo um dos passes em um fantástico calcanhar. Pelo Campeonato Brasileiro enfrentou o Inter no Beira-Rio, o São Paulo ganhou por 2x0 com um gol de Fernandão, seu primeiro gol com a camisa são pauliana, jogo que saiu aplaudido pela torcida colorada.

E chegou o combate que todos esperavam, Inter x São Paulo pela semifinal da Libertadores 2010. Fernandão virou rival e enorme medo na torcida do Inter de ser eliminada pelo maior ídolo. Com muitas vaias no Beira-Rio, algo inacreditável para um ídolo do tamanho dele, a torcida "secou" o nosso herói que não teve boa atuação. O Internacional eliminou o São Paulo no Morumbi na semana seguinte, com Fernandão novamente não conseguindo jogar bem.

Fernandão está respeitando a camisa do São Paulo assim como respeitou todos os clubes que defendeu. Ele é um profissional completo. Um cidadão de respeito e um exemplo para todos, seja dentro como fora de campo.

Espero que a torcida do Internacional não guarde nenhum rancor sobre nosso craque ter nos enfrentado e ter buscado a classificação por outro time. Ele é um atleta profissional e o futebol é competição. O que ele fez com a camisa do Internacional está eternizado, jamais será esquecido. Os diamantes são eternos e Fernandão é um dos nossos diamantes.

E tenha certeza, a história Internacional e Fernandão não encerrou ainda. Nos encontraremos muito nessa vida. Fernandão tem um capítulo especial na história do Internacional e este capítulo ainda não tem ponto final.