Quem sou eu

Minha foto
Um amante de esportes, em especial o futebol. Bacharel em Administração, pós-graduado em Finanças e Tecnologia da Informação. No futebol sou atualmente membro da Comissão de Laudos Técnicos dos Estádios pelo Ministério do Esporte e Conselheiro do Sport Club Internacional. Tive a honra de ser Diretor de Administração do Internacional de 2007 a 2010 e Coordenador-Geral de Modernização da Secretaria Nacional do Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor no Ministério do Esporte em 2011.

sábado, 16 de outubro de 2010

OS ESTRANGEIROS DO INTERNACIONAL

A conquista do Bicampeonato da Libertadores da América com a qualidade de Andréas D'Alessandro e a raça de Pablo Guiñazu chamou atenção de todos para o grupo de brasileiros, argentinos e uruguaios de alto desempenho montado pelo Internacional para essa nova conquista.

Porém o Internacional não é de hoje que trabalha com muitos estrangeiros em seus grupos. Os grandes títulos sempre tiveram sotaque estrangeiro. Já no primeiro título gaúcho em 1927 tinha o uruguaio Donaldo Ross no ataque. Tivemos o memorável Rolo Compressor com o argentino Villalba entre os artilheiros. Dom Elias Figueroa, o capitão campeão brasileiro. Ruben Paz o craque dos anos 80. Gamarra o craque dos anos 90. Entre tantos outros.

Veja a relação de todos os estrangeiros que já vestiram a camisa do Internacional.

JOGADORES

Alemanha

Bahr (Zagueiro, 1910)
O alemão With Bahr chegou ao Inter em junho de 1910, juntamente com os compatriotas Friedrich Heier e Frankenreiter. Por algum motivo, estes últimos não chegaram a jogar no Inter em 1910. Primeiro estrangeiro a jogar com a camisa do Internacional, natural de Baden, estreiou em 26 de junho de 1910, no quinto jogo da história do Internacional, contra o S.C. Nacional pelo Campeonato Citadino, vitória por 5x0.

Argentina

Amelli (Zagueiro, 2002)
Horacio Andrés Ameli (Rosario, Santa Fé, 7 de julho de 1974) foi zagueiro do Internacional em 2002. Começou sua carreira profissional em 1994, defendendo o Colón (ARG). Jogou também no Rayo Vallecano (ESP) e San Lorenzo (ARG) até transferir-se para o Internacional em 2002. Ficou pouco tempo no Clube, apesar de boas atuações. Em 2002 ainda foi jogar no São Paulo (BRA). No Internacional conquistou o Campeonato Gaúcho de 2002.

Beresi (Meio-Campo, 1948)
Mario Beresi (Rosário, 19 de abril de 1918), foi tirado do Grêmio, e atuou no Inter em 1948, fazendo 27 jogos, sem marcar gol. Jogou pelo Inter no Gre-Nal dos 7x0, maior goleada do Inter em clássicos.

Bolatti (Volante, 2011-atual)
Bolatti, volante
Mario Bolatti (La Para, 17 de fevereiro de 1985) é atual volante do Internacional. Iniciou a carreira no Belgrano com estréia em agosto de 2003. Destacou-se no campeonato argentino e foi comprado pelo Porto (POR) em 2007, ano de sua primeira convocação para a seleção argentina. Em 2010 foi dele o gol salvador da Argentina nas eliminatórias da Copa do Mundo, na vitória de 1x0 sobre o Uruguai em Montivideo. Estava na Fiorentina (ITA) quando foi contratado pelo Internacional. Pelo Internacional conquistou o Campeonato Gaúcho 2011 e 2012 e a Recopa Sul-Americana 2011. A maior contratação do Internacional em 2011, teve um excelente início no Internacional, fazendo gols na primeira fase da Libertadores da América e logo virando ídolo da torcida, porém algumas contusões e problemas físicos fizeram com que o desempenho caísse muito. Com a chegada de Dorival Jr como treinador, pouco foi escalado no time, mesmo com Fernandão. Em 2013 foi emprestado para o Racing da Argentina no primeiro semestre e Inter tentou a venda sem sucesso. Em 2014 emprestou para o Botafogo, onde tenta dar algum destaque ao jogador de forma a uma possível venda para diminuir o prejuízo.

Cavenaghi (Atacante, 2011)
Cavenaghi, atacante
Fernando Cavenaghi (O'Brien, 21 de setembro de 1983) foi um atacante do Internacional. Contratado para a temporada 2011, jogador revelado pelo River Plate (ARG) tem passagens na Seleção Argentina e também pelo futebol europeu. Estava emprestado no Mallorca (ESP) quando foi contratado por empréstimo pelo Inter, antes atuou no Spartak Moscou(RUS) e Bordeaux (FRA). No Inter atuou pouco, principal motivo pela cota de três estrangeiros no futebol brasileiro, o que muitas vezes o impedia até ficar no banco de reserva. O outro motivo foi a fantástica fase de Leandro Damião, que ganhou a disputa pela vaga de titular. Em junho de 2011 pediu para cancelar o contrato de empréstimo e retornar ao Bourdeaux, de forma a ser emprestado para outro clube que possa atuar (foi emprestado para o River Plate). Porém tempo suficiente para conquistar o Campeonato Gaúcho de 2011. Fez 2 gols em 14 partidas.

Claudio Garcia (Atacante, 1995)
Claudio "Turco" García (24 de agosto de 1963) foi um atacante de apenas um jogo no Inter. Jogador de Seleção Argentina, em 1995, estreou o badalado Cláudio Garcia. Visivelmente fora de forma, atuou em apenas uma partida (um empate em 0x0 com o Olímpia, pelo Torneio Rei Dada, que não terminou, pois os organizadores fugiram com o dinheiro). Garcia não passou no exame médico e foi dispensado.

D'Alessandro (Meio-Campo, 2008-atual)
D'Alessandro, meio-campo
Andrés Nicolás D'Alessandro (Buenos Aires, 15 de abril de 1981) é atual meio-campista do Internacional. Contratado em 2008, D'Alessandro foi revelado nas categorias de base do River Plate (ARG), Clube que teve grande destaque. Antes de chegar no Inter, ainda atuou no Wolksburg (ALE), Portsmouth (ING), Real Zaragoza (ESP) e San Lorenzo (ARG). No Inter chegou para substituir Alex que seria negociado em 2009, tempo suficiente para os dois juntos conquistarem a Copa Sul-Americana 2008, com um 2009 de altos e baixos, em 2010 virou o grande craque que a torcida esperava, fundamental na conquista da Libertadores da América, grandes atuações que levaram de volta a Seleção Argentina. Em dezembro de 2010 foi eleito o melhor jogador da América em 2010 pelo jornal El País do Uruguai, prêmio tradicional na América do Sul. Em janeiro de 2012 recebeu proposta milionária do futebol chinês, porém a comoção da torcida colorada com pedidos para ficar, com a vontade da família em continuar em Porto Alegre e por uma nova valorização financeira no Inter fizeram que um dos maiores craques da história do clube negasse a proposta milionária. No Internacional conquistou a Copa Sul-Americana 2008, Campeonato Gaúcho 2009, 2011 e 2012, Copa Suruga Bank 2009, Copa Libertadores da América 2010 e Recopa Sul-Americana 2011.

Dátolo, meio-campo
Dátolo (Meio-Campo, 2012-2013)
Jesús Alberto Dátolo (Carlos Spegazzini, 19 de maio de 1984) é atual meio-campista do Internacional. Meia esquerdo de chute poderoso, Dátolo começou jogando nas categorias de base do Banfield, estreou nos profissionais em 2004. Suas boas atuações, suas jogadas incriveis e seu chute a gol chamaram a atenção do mercado. Em 2006 transferiu-se para o Boca Juniors e chamou atenção da diretoria do Internacional nas atuações na Libertadores 2007 e nos confrontos contra o Inter na Sul-Americana 2008. Em 2009 transferiu-se para a Europa. Em janeiro de 2012 foi contratado pelo Internacional e a estreia não poderia ser melhor, clássico Gre-Nal na casa do adversário e gol de Dátolo no empate de 2x2. No Internacional conquistou o Campeonato Gaúcho 2012, onde foi eleito o craque do campeonato, porém pouco utilizado pelo problema de excesso de estrangeiros. Em 2013, com a saída de Guiñazu do grupo, teve mais oportunidades, mesmo assim acabou na reserva de Scocco e pouco tem sido escalado. Acabou rescindindo em uma negociação que envolveu o Atlético-MG.

Escobar (Meio-Campo, 1942)
Vilson Palmo Escobar, passou mais tempo atuando nos aspirantes. Pelo time principal disputou uma única partida em 18 de outubro de 1942, na vitória de 7x3 contra o Armour.

Fandiño (Meio-Campo, 1947)
Jogou na segunda metade da década de 40, participou de 4 clássicos Gre-Nal, todos em 1947, com 3 vitórias e 1 empate. Fez um gol em Gre-Nal.

Goycochea (Goleiro, 1995-1996)
Goycochea, goleiro
Sergio Javier Goycochea (Lima, 17 de Outubro de 1963) foi goleiro do Internacional entre 1995 e 1996. Também atuou pelo River Plate (ARG), Cerro Porteño (PAR), Olímpia (PAR), Millonarios (COL), Velez Sarsfield (ARG), Newell's Old Boys (ARG) e Racing (ARG). Foi goleiro da Seleção Argentina na Copa do Mundo de 1990, onde teve grande destaque. No Internacional atuou pouco, apenas 26 vezes.

Guiñazú (Volante, 2007-2012)
Guiñazu, volante
Pablo Horacio Guiñazú (General Cabrera, 26 de agosto de 1978) é atual volante do Internacional. Na Libertadores 2006 chamou atenção seu bom futebol pelo Libertad (PAR), time que o Inter enfrentou na semifinal do campeonato. É canhoto, e tem como características a marcação, garra e a grande movimentação em campo. Antes do Inter e do time paraguaio atuou pelo Newell's Old Boys (ARG), Perugia (ITA), Independiente (ARG) e Saturn (RUS). Em 2007, desembarcou em Porto Alegre para ocupar o lugar de Tinga na equipe colorada. Titular absoluto, El Cholo Loco, conquistou a Copa Sul-Americana 2008, os Campeonatos Gaúchos 2008, 2009, 2011 e 2012, Copa Dubai 2008, Copa Suruga Bank 2009, Copa Libertadores da América 2010 e a Recopa Sul-Americana 2011. Em janeiro de 2013 foi liberado para sair do Clube e retornou ao Libertad do Paraguai.

Herbella (Zagueiro, 2004)
Juan Manuel Herbella (Buenos Aires, 3 de maio de 1978) foi zagueiro do Inter em 2004. Formado em medicina, tinha o apelido de "El Doctor", porém não conseguiu nunca mostrar bom futebol no Clube e sempre ficou na reserva, muitas vezes nem concentrado para as partidas.

Montaño (Atacante, 1959)
Hélio Montaño disputou apenas um amistoso em 21 de abril de 1954, 4x4 com o Botafogo (BRA) onde fez um gol, antes mesmo de assinar o contrato. Depois da partida, onde foi um dos destaques, o jogador pediu Cr$ 400 mil de luvas e mais Cr$ 25 mil por mês. O Internacional recusou-se a pagar estes valores e dispensou o atleta. Jogava no Peñarol (URU), na época, e antes havia atuado no Boca Juniors (ARG).

Pato Abbondanzieri, goleiro
Pato Abbondanzieri (Goleiro, 2010)
Roberto Carlos "Pato" Abbondanzieri (Bouquet, 19 de agosto de 1972) foi goleiro do Internacional durante apenas um ano. Transferido em 2010 para o Inter, antes atuou por Rosário Central (ARG), Boca Juniors (ARG) e Getafe (ESP). Foi goleiro da Seleção Argentina na Copa do Mundo de 2006. Muito carismático, foi titular até as semifinais da Libertadores 2010. Despediu-se do futebol no Mundial de Clubes 2010, quando entrou na decisão do terceiro lugar entre Internacional e Seognam da Coréia do Sul. No Internacional conquistou a Copa Libertadores da América de 2010.

Rubén Dário (Meio-campo, 1994)
Rubén Dário Piaggio (General Villegas, 2 de abril de 1970) foi um meio-campo que chegou para o Internacional em 1994, atuou apenas uma partida, contra o Naútico, pelo Brasileiro de 2004. Ficou pouco tempo no Clube.

Scocco (Atacante, 2013)
Ignácio Martín Scocco (Santa Fé, 29 de maio de 1985) é atacante do Internacional contratado na janela do meio do ano de 2013. Foi destaque no Newell's Old Boys na Libertadores da América, quando o clube argentino foi finalista. Atuou também no Pumas (MEX), AEK Atenas (GRE) e Al Ain (Emirados Árabes). Não conseguiu se firmar no clube, muito porque Damião acabou não sendo negociado e também por motivo de lesões. O ano de 2014 era para ser dele como titular, porém com a chegada de Abel que rasgou elogios ao Rafael Moura e sinalização da direção diferente com a contratação de Wellington Paulista, acabou dando uma sequencia de entrevistas que desagradaram o clube. No final de janeiro de 2014 foi negociado com o Sunderlan-ING, negociação que diminuiu o prejuízo de toda operação financeira que envolveu este atleta. Este estrangeiro frustrou o torcedor colorado.

Silenzi (Volante, 1938-1939)
Cayetano Luis Silenzi foi volante do Internacional em 1938 e 1939. Foi o primeiro argentino a defender o Internacional, mas antes foi campeão nacional em seu país em 1931, pelo Boca Juniors (ARG), no primeiro campeonato profissional da Argentina, clube que atuou entre 1931 e 1933, jogou também no Talleres (ARG), All Boys (ARG) e Independiente (ARG), antes de ingressar no Internacional, em outubro de 1938. Estreiou em um amistoso em Bento Gonçalves contra o Esportivo (BRA), placar de 4x4. Sua estréia em Gre-Nal não poderia ocorrer em melhor partida: no Gre-Nal de 01 de novembro de 1938, que o Internacional venceu por 6x0 e o árbitro anulou mais 5 gols colorados. Atuou no Internacional até abril de 1939, despedindo-se em mais um Gre-Nal, que terminou empatado em 1x1. Jogador de futebol técnico, deixou saudade nos Eucaliptos, mas preferiu retornar à sua Buenos Aires querida.

Villalba (Atacante, 1941-1944 e 1946-1949)
Villalba, atacante
José Villalba (San Tomé, agosto de 1919) foi um dos maiores atacantes da história do Internacional, chegou ao Colorado em 1941, vindo do pequeno San Tomé (ARG). Foi parte integrante do grande Rolo Compressor e ficou no Clube até 1944 quando partiu para o centro do país, jogando no Atlético Mineiro (BRA) e no Palmeiras (BRA). Retornou ao Internacional em 1946, jogando até 1949. É o segundo maior artilheiro colorado em Gre-Nais, com 20 gols, e em um Cássico Gre-Nal de outubro de 1948 fez 4 gols na vitória de 7x0 do Internacional. Encerrou a carreira no Rio Grande (BRA), em 1954, e tornou-se funcionário do Internacional até sua morte, em 1987. No Internacional conquistou os Campeonatos Gaúchos de 1941, 1942, 1943, 1947 e 1948. É o estrangeiro com maior número de gols no Inter com 145 gols.

Chile

Charles Aranguíz (Volante, 2014-atual)
Charles Mariano Aránguiz Sandoval (Puente Alto, Santiago, 17 de abril de 1989) é o resgate da relação Inter e Chile que fazia tempo não acontecia. Mais de 10 anos o Inter investiu em diversos jogadores estrangeiros, nenhum chileno. O novo contratado é volante e titular da seleção chilena, nome certo na Copa do Mundo 2014. Chegou por empréstimo com passe fixado e esperança de qualidade no setor que sente até hoje a saída de Guinazu. Antes do Internacional atuou no Cobreloa (CHI), Colo-Colo (CHI), Quilmes (ARG) e Universidad do Chile (CHI).

Eros Pérez (Lateral, 2001)
Eros Roque Pérez Salas (Santiago, 3 de junho de 1976) foi lateral esquerdo do Internacional em 2001. Esteve no Inter sob o comando de Carlos Alberto Parreira, porém não aprovou.

Figueroa (Zagueiro, 1971-1976)
Figueora, zagueiro
Elías Ricardo Figueroa Brander (Valparaíso, 25 de outubro de 1946) foi um dos maiores jogadores da história do Internacional. Considerado o melhor jogador de futebol da história do Chile, também foi eleito o melhor zagueiro da Copa de 1974 e duas vezes eleito o melhor da América do Sul. Seu lema era: "A grande área é minha casa. Aqui só entra quem eu quero". Figueroa chegou ao Internacional em novembro de 1971. Antes, havia jogado pelo Wanderers (CHI), Unión La Calera (URU) e Peñarol (URU). Vestindo a camisa colorada, Figueroa fez 26 gols em 336 jogos. Disputou 17 clássicos Grenal, tendo perdido apenas um e nunca foi expulso ao longo de sua carreira. Autor do "Gol Iluminado" aos 11 minutos do segundo tempo de 14 de dezembro de 1975, na final do Campeonato Brasileiro de 1975 entre Internacional e Cruzeiro. No Internacional conquistou os Campeonatos Brasileiros de 1975 e 1976 e os Campeonato Gaúchos de 1971, 1972, 1973, 1974, 1975 e 1976.

Letelier (Atacante, 1990)
Juan Carlos Letelier Pizarro (Valparaíso, 20 de maio de 1959) foi atacante do Internacional em 1990. Chegou veterano e com fama de ser um dos maiores artilheiros da Seleção Chilena, na qual disputou a Copa do Mundo de 1982, na Espanha. No Inter ficou pouco tempo, porém fez um gol muito importante na vitória de 1x0 contra a Portuguesa em novembro de 1990, evitando o rebaixamento Colorado.

Colômbia

Bustos (Lateral, 2008)
Bustos, lateral
Rubén Dario Bustos Torres (Villa del Rosario, 28 de Agosto de 1981) foi lateral direito do Inter em 2008 e um futebolista colombiano. Iniciou sua carreira no América de Cáli (COL) e destacou-se na Libertadores da América 2007 pelo Cúcuta Deportivo (COL) com ótimas cobranças de falta e apoio de qualidade. Em julho de 2007 transferiu-se para o Grêmio (BRA). Pouco aproveitado pela equipe tricolor, Bustos vivia um bom momento pela Seleção Colombiana. No ínicio de 2008, Bustos foi apresentado pelo Internacional, mas não teve boas atuações, foi reserva e acabou dispensado do grupo principal, passando por empréstimos e treinos em separado. Em 2011 voltou mas ficou treinando em separado, não sendo aproveitado nem no Inter B, saindo em definitivo em julho. No Internacional conquistou o Campeonato Gaúcho 2008.

Cristian Borja (Atacante, 2007)
Cristian Martinez Borja (Quibdó, 1 de janeiro de 1988) chegou ao Inter em 2006, ainda para as categorias de base. É primo de Renteria, mas não teve o mesmo destaque. Integrou o time B do Clube, porém foi aproveitado apenas em 2007 no Campeonato Gaúcho quando os titulares ainda estavam em férias. Atuou em 01.02.2007 na vitória de 2x1 conra o Glória, quando substituiu o Gustavo, e em 04.02.2007 na derrota por 2x1 para o Juventude, quando entrou no time no lugar do nigeriano Abu.

Hurtado (Meio-Campo, 1999-2000)
Héctor Hugo Hurtado Salazar (Cáli, 21 de setembro de 1975) foi um meia que jogou no Inter de 1999 a 2000. Destaque do América de Cali (COL) em 1998 quando foi um dos artilheiros da Copa Merconorte de 1998, logo foi contratado pelo Inter, porém fracassou.

Orozco (Zagueiro, 2007-2008)
Andrés Felipe Orozco Vázquez (Medellín, 18 de março de 1979) foi zagueiro do Internacional em 2007 e 2008. Contratado em 2007 para compor o grupo, teve apenas medianas autações, sua grande atuação no Inter foi na final da Copa Dubai contra a Internazionale. No Internacional conquistou o Campeonato Gaúcho 2008 e a Copa Dubai 2008.

Rentería (Atacante, 2005-2006)
Renteria, atacante
Wason Libardo Renteria Cuesta (Quibdó, 4 de julho de 1985) foi atacante do Internacional em 2005 e 2006. Costuma festejar os seus gols dançando o Ruque Raque e também imitando o Saci, símbolo do Internacional. A sua apresentação no Mundial Sub-20 de 2005 chamou a atenção de muito clubes em nível mundial e o Inter conseguiu sua contratação. Ídolo da torcida, irreverente, sempre entrava nos jogos e fazia gols. Fez um dos gols mais bonitos da história do Clube em 27 de Abril de 2006, jogando em Montevidéu, quando deu um lençol no adversário e concluiu de primeira. Na campanha campeã do clube em 2006, marcou ainda outro gol, desta vez contra a LDU do Equador na partida de volta das quartas-de-final, realizada no Beira-Rio. Uma lesão há dez dias do embarque para o Japão o tirou do grupo que foi campeão do Mundial de Clubes 2006 e encerrou seu ciclo na equipe colorada. No Internacional conquistou a Libertadores da América 2006.

Vargas (Volante, 2006-2007)
Vargas, volante
Fabián Andrés Vargas Rivera (Bogotá, 17 de Abril de 1980) foi volante do Internacional em 2006 e 2007. Vargas começou jogando em seu país pelo América de Cali (COL). De lá, jogou por sete anos pelo Boca Juniors (ARG), porém no meio desta história foi emprestado em 2006 ao Internacional, para repor a posição de Tinga, negociado logo após a Libertadores. Apesar de nunca ter sido titular absoluto foi muito importante na disputa do Mundial de Clubes FIFA, entrando na final no lugar de Alex no segundo tempo. Devido a lesões e constantes convocações pela seleção colombiana, o Inter decidiu não comprar o passe do jogador, e Vargas retornou ao time titular do Boca Juniors. No Internacional conquistou o Mundial de Clubes FIFA 2006.

Equador

Bolaños, atacante
Bolaños (Atacante, 2009)
Luis Alberto Bolaños León (Quito, 27 de março de 1985) foi atacante do Internacional em 2009. Chegou ao Inter pelo grupo DIS (Sonda) após passagem ruim pelo Santos (BRA). Antes havia passado por times equatorianos, em destaque para a LDU Quito (EQU) onde conquistou a Libertadores da América 2008. Logo no seu primeiro jogo pelo Inter no Beira-Rio, Bolaños marca três gols, numa partida contra o Coritiba pelo primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Porém fracassou na sequência e sendo dispensado do grupo em 2010, emprestado para o Barcelona (EQU). Em 2011 foi novamente emprestado, agora para o LDU (EQU).

Nigéria

Abu (Atacante, 2006-2007)
Abu, atacante
Abubakar Bello-Osagie (Benin City, 11 de agosto de 1988) foi atacante do Internacional de 2006 a 2007, porém neste período praticamente atuou na equipe B, tendo apenas no início do Campenato Gaúcho 2007 algumas oportunidades no time principal em virtude das férias dos jogadores que foram ao Mundial de Clubes 2006. Abu teve passagens pelo River Plate (ARG) antes de vir para o Internacional em uma parceria com o empresário Marcelo Housemann que também trouxe o nigeriano Obinna que nem chegou a jogar pelo Clube e abandonou o país. Abu foi o único africano a atuar pelos profissionais do Internacional até hoje.

Paraguai

Benítez (Goleiro, 1977-1983)
Benitez, goleiro
José de La Cruz Benítez Santa Cruz (Assunção, no dia 3 de maio de 1952) foi goleiro do Internacional entre 1977 e 1983. Também atuou pelo Olímpia (PAR) e Palmeiras (BRA). No Internacional conquistou o Campeonato Brasileiro de 1979 e os Campeonatos Gaúchos de 1978, 1981, 1982 e 1983.

Brites (Atacante, 1987)
Felix Amado Brites Roman (Assunção, 24 de março de 1967) atuou no Internacional em 1987 na campanha da Copa União quando o Internacional foi vice-campeão. Não teve boas atuações, porém destacou-se na semifinal contra o Cruzeiro (BRA), quando formou ataque com Amarildo e eliminaram a equipe mineira em pleno Belo Horizonte.

Enciso (Volante e Lateral, 1996-2000)
Julio César Enciso Ferreira (Capiatá, 5 de Agosto de 1974) foi volante e lateral direito durante o período de 1996 a 2000 quando atuou com a camisa do Internacional. Também atuou na Copa do Mundo de 1998 e nas Olimpíadas de 2004, onde conquistou a medalha de prata, pela Seleção Paraguaia. Saiu do Inter em 2000, mas honageou o Clube e a torcida ao eliminar o Grêmio na Libertadores de 2002, quando jogou com uma camisa com o escudo do Internacional por baixo da camisa do Olímpia. No Internacional conquistou o Campeonato Gaúcho 1997.

Espínola (Zagueiro, 1997-1998 e 2000-2001)
Arnaldo Andrés Espínola Benitez (Assunção, 3 de maio de 1975) foi zagueiro do Internacional entre 1997 e 1998 e depois em 2000 e 2001. Chegou para ser o substituto de Gamarra, porém teve dificuldades para ser titular. Saiu do Inter em 1998 para o Cruzeiro (BRA), retornou em 2000.

Fernández, goleiro
Fernández (Goleiro, 1991-1993)
Roberto Eladio Fernández Roa (Assunção, 9 de setembro de 1954) foi goleiro do Internacional entre 1991 e 1993. Também atuou Cerro Porteño (PAR), Palmeiras (BRA), Español (ESP), Deportivo Cali (COL). Foi goleiro da Seleção Paraguaia na Copa do Mundo de 1986. Destaque no Internacional na grande campanha na Copa do Brasil 1992, principalmente nas eliminatórias contra o Grêmio em que a decisão foi para os penaltis e o Internacional ganhou por 3x0 nas cobranças de penalidades. No Internacional conquistou a Copa do Brasil de 1992 e o Campeonato Gaúcho de 1992.

Gamarra (Zagueiro, 1995-1997)
Gamarra, zagueiro
Carlos Alberto Gamarra Pavón (Ypacaraí, 17 de fevereiro de 1971) foi um dos maiores zagueiros da história do Internacional. Muitos especialistas colocam ele no melhor Inter de todos os tempos formando a zaga com Figueroa. Gamarra iniciou sua carreira no Cerro Porteño (PAR) em 1991 e, em seguida, passou pelo Independiente (ARG), antes de retornar ao Cerro. Em 1995, quando Gamarra assinou contrato com Internacional, que sua carreira realmente começou a deslanchar. Técnico, líder, ótima colocação e com forte poder de antecipação transformou-se no maior ídolo Colorado nos anos 90. Foi titular da Seleção do Paraguai na Copa do Mundo de 1998, considerado o melhor zagueiro da competição. No Internacional conquistou o Campeonato Gaúcho 1997.

Gavilan, volante e lateral
Gavilán (Volante e Lateral, 2003-2005)
Diego Antonio Gavilán Zarate (Assunção, 1 de Março de 1980) foi volante e lateral direito no período de 2003 a 2005. Gavilán iniciou sua carreira no Cerro Porteño (PAR), em 1998. Volante, de marcação, rapidamente, chegou à Seleção Paraguaia. Em 1999 foi negociado com o Newcastle, mas não teve muitas oportunidades, sendo emprestado para UAG Tecos (MEX), Internacional, primeira passagem no início de 2003, e Udinese (ITA). Finalmente, em 2004, acabou sendo contratado pelo Internacional, aonde foi muito irregular durante sua passagem. Em 2005, mudou-se para a Argentina, aonde passou a defender o Newell's Old Boys (ARG). No Internacional conquistou os Campeonatos Gaúchos 2003, 2004 e 2005.

Jacquet (Lateral, 1989)
Justo Pastor Jacquet Muñoz (Assunção, 9 de Setembro de 1961) foi lateral esquerdo do Internacional no final dos anos 90. Não conseguiu destaque e acabou sendo reserva na curta passagem pelo Internacional.

Zaballa (Zagueiro, 1990)
César Zabala Fernandez (Luque, 3 de junho de 1961) foi zagueiro do Inter em 1990. Participou da Copa do Mundo 1986 pela Seleção Paraguaia, porém não conseguiu render bom futebol no Internacional.

Peru

Hidalgo, lateral
Hidalgo (Lateral, 2006-2007)
Emilio Martín Hidalgo Conde (Lima, 15 de Junho de 1976) foi lateral esquerdo do Internacional em 2006 e 2007. Hidalgo chegou por empréstimo ao Internacional, em agosto de 2006, para reforçar o time e substituir Jorge Wagner que havia saído após a Copa Libertadores da América. Atuou no Campeonato Brasileiro de 2006, onde foi vice-campeão, e foi titular da primeira partida do Colorado no Mundial de Clubes FIFA 2006. Com problemas na negociação do empréstimo com o Libertad (PAR), deixou o Inter no meio do ano. No Internacional conquistou o Mundial de Clubes FIFA 2006 e a Recopa Sul-Americana 2007.

Uruguai

Aguirregaray (Zagueiro, 1988-1989)
Aguirregaray, zagueiro
Óscar Aguirregaray Acosta (Artigas, 25 de outubro de 1959) foi um bom zagueiro no Internacional. Antes defendeu os dois grandes times de seu país, Nacional (URU) e Peñarol (URU), além do Defensor (URU). No Brasil também atuou pelo Palmeiras (BRA) e Figueirense (BRA), porém o mais marcante foi no Internacional onde fez boas atuações e participou do time vice-campeão nacional em 1988, participando do Grenal do Século, na semifinal da competição. Também estava na equipe que fez ótima campanha na Libertadores da América 1989 sendo que uma das reclamações dos Colorados até hoje é que ele deveria ter batido o pênalti durante o jogo na semifinal entre Internacional x Olímpia (PAR). Quem bateu foi Nilson e errou, gol que fez falta para o Inter que acabou eliminado.

Beheregaray (Zagueiro, 1914)
Alberto Beheregaray foi zagueiro do Internacional de origem do Nacional (URU). Em seu primeiro treino no Inter, em 21 de maio de 1914, Behegaray tentou driblar Paixão, caiu e torceu a articulação do pé esquerdo, desfalcando o Inter para o jogo com o Americano, em 24 de maio. Atuou em cinco partidas pelo Inter.

Bruno Silva, lateral
Bruno Silva (Lateral, 2010)
Bruno Ramón Silva Barone (Cerro Largo, 29 de março de 1980) foi lateral direito do Inter. Chegou no Clube por indicação de Jorge Fossati, sendo emprestado pelo Ajax (HOL). Não teve boas atuações, perdeu a posição para Nei e depois para Daniel, tanto que nem foi relacionado no grupo para o Mundial de Clubes 2010. No Internacional conquistou a Copa Libertadores da América 2010.

Diego Aguirre, atacante
Castillo (Atacante, 1935-1942)
Fabio Castillo trocou o Grêmio pelo Internacional em 1935. Jogou no Colorado até 1942. No Internacional foi campeão municipal em 1936, 1940, 1941 e 1942, campeão do Torneio Relâmpago em 1939 e Campeão Gaúcho em 1940, 1941 e 1942.

Diego Aguirre (Atacante, 1988-1989)
Diego Vicente Aguirre Camblor (Montevideo, 13 de setembro de 1965) foi um atacante de razoável sucesso no Interncional. Não fez um bom Campeonato Brasileiro de 1988, sendo reserva quase todo tempo, porém na semifinal contra o Grêmio, no Gre-Nal do Século, foi fundamental para a virada e ajudou nas gozações contra o rival ao dar uma janelinha no zagueiro gremista Trassante. Na Libertadores 1989 foi o goleador do Inter com 5 gols e boas atuações.

Diego Forlán (Atacante, 2012-2013)
Diego Forlán, atacante
Diego Forlán Corazzo (Montevidéu, 19 de maio de 1979) é um atacante de destaque mundial. Considerado como um dos melhores jogadores de futebol da atualidade, Forlan é vencedor de duas Chuteiras de Ouro da UEFA, conquistadas nas temporadas 2004-05 e 2008-09, além da Bola de Ouro da FIFA, título de melhor jogador da Copa do Mundo de Futebol de 2010. É também o jogador com mais partidas disputadas na história da Seleção Uruguaia de Futebol, e ainda detem o recorde de maior goleador da seleção celeste. Com um currículo invejável, já atuou no Independiente (ARG), Manchester United (ING), Villareal (ESP), Atlético de Madrid (ESP) e Internazionale (ITA). Contratado pelo Internacional em 2012 como a grande contratação do futebol sul-americano no ano e uma das maiores de todos os tempos no Brasil. Teve um ano de 2012 com dificuldades, mas um bom início de 2013 no Campeonato Gaúcho.  Em 2013 o rendimento foi menor ainda, acabou na reserva do jovem Otávio e servindo mais a seleção uruguaia do que o clube. Com objetivo de diminuir a folha de pagamento acabou negociado com o Cerezo Osaka (JAP) e deixou o clube sem o mesmo brilho que chegou.

Félix Magno (Meio-Campo, 1928-1932 e 1939-1941)
Felix Magno (Las Piedras, 13 de abril de 1909) foi um volante que apareceu no futebol de Bagé e em 1928 transferiu-se para o Internacional. Em 1932 foi para o Nacional (URU) e retornou para o Internacional na montagem do Rolo Compressor no início da década de 40. No Internacional conquistou o Campeonato Gaúcho 1940.

Florêncio Ygartua (Zagueiro, 1910-1912)
Florêncio Ygartua Filho (Montevideo, 11 de setembro de 1892) fez sua estreia pelo Inter em 21 de agosto de 1910, no oitavo jogo da história do Clube, na derrota de 3x1 para o Militar F.C., jogo válido pelo Campeonato Citadino. Destacado e humanitário médico formado pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre foi zagueiro famoso e titular da equipe quando acadêmico. Uma das principais ruas de Porto Alegre leva o seu nome como uma saudosa homenagem e como gratidão.

Ghizoni (Meio-campo, 1946-1950)
Rodolfo Ghizoni (Salto, 3 de outubro de 1924) atuou 73 jogos com a camisa do Internacional e fez 27 gols. Destacou-se no Gre-Nal pelo Torneio da ACEPA de dezembro de 1948 quando fez os dois gols da vitória, conquista que nos deu a Taça Porto Alegre da Associação dos Cronistas Esportivos.

Graham Bell (Zagueiro, 1937)
Armando Graham Bell atuou apenas em uma partida pelo Internacional, o último Gre-Nal de 1937, que perdemos por 4x3. Atuou em 1937 no Internacional, em uma zaga que Risada estava no auge de sua carreira. Também jogou no Botafogo (BRA), Corinthians (BRA) e Portuguesa Santista (BRA).

González (Zagueiro, 1950)
Rápida passagem pelo Clube, atuou apenas 4 jogos, sem marcar gols.

Henrique Lay (Meio-Campo, 1912)
Fez sua estreia pelo Inter em 2 de junho de 1912, na vitória de 4x3 contra o Fuss-Ball, jogo válido pelo Campeonato Citadino. Atuou 4 jogos pelo Clube.

Ica (Meio-Campo, 1964-1965)
Darci Pereira Pereira (Rivera, 1 de julho de 1936) foi contratado ao Floriano de Novo Hamburgo, jogou 48 partidas e fez quatro gols pelo Inter.

Julio Pérez (Meio-Campo, 1957)
Julio Gervasio Pérez Guitiérrez (Montevideo, 19 de junho de 1926) foi um meia-direita de grande técnica, e que teve atuações decisivas na campanha do bicampeonato uruguaio na Copa do Mundo de 1950. Jogou 22 partidas pela Celeste Olímpica entre 1950 e 1957 e também participou da Copa do Mundo de 1954. Foi um dos ídolos máximos do Nacional (URU). No final da carreira jogou no Internacional, atuou pelo Inter em 16 jogos e fez 3 gols.

Lamas (Volante, 1969)
Alfredo Luiz Lamas Ullda (Montevideo, 02 de março de 1946) jogou no Inter em 1969 sem muito destaque.

La Paz, goleiro
La Paz (Goleiro, 1954-1959)
Jorge Américo La Paz, goleiro de ótima colocação e agilidade atuou antes no Nacional (URU) e no Nacional A.C. (BRA). Teté, o Marechal das Vitórias, trouxe La Paz para substituir o goleiro Everton, titular da primeira metade da década de 50.

Perez (Meio-Campo, 1944)
Cacho Perez atuou pelo Rolo Compressor na campanha do pentacampeonato gaúcho de 1944. Teve destaque no Gre-Nal amistoso de fevereiro de 44 quando marcou dois gols na vitória colorada por 3x2, os dois únicos gols que marcou pelo Inter em 11 partidas. Em abril de 1945 transferiu-se para o Floriano (BRA), mas sua última partida pelo Colorado tinha sido em agosto de 1944.

Raul Díaz (Lateral, 1949-1950)
Lateral esquerdo jogou em 1949 e no início de 1950. Atuou apenas em um Gre-Nal, em maio de 1949, vitória do Inter por 4x2 na Timbaúva.

Rivarol Padilha (Meio-Campo, 1911)
Meio-campista que atuou nos primeiros jogos da história do Internacional. Atuou por 5 jogos e não marcou gols.

Rizzo (Goleiro, 1937)
Atuou pouco no Clube, em dois clássicos disputados, perdeu os dois jogos.

Ross (Atacante, 1925 e 1927-1931)
Donaldo Ross (Montevideo, 1904) veio do 14 de Julho de Passo Fundo (BRA) em 1927, ano da primeira conquista estadual do Internacional. Em 30 de maio de 1925 fez um amistoso como jogador convidado pelo Internacional contra a Seleção de Santana do Livramento. No Inter fez 52 jogos e 19 gols, centroavante titular e profissional “marrom”. Foi titular do ataque no Gre-Nal de inauguração do Estádio dos Eucaliptos, porém não fez gol neste Gre-Nal. Mas no Gre-Nal seguinte, válido pelo campeonato, nova vitória colorada (1x0 - gol de Ross), e uma confusão bem característica da rivalidade Gre-Nal: Faltando 5 minutos para o fim do jogo, Poroto e Ross, após dividirem uma jogada, começaram a brigar. A briga espalhou-se entre os jogadores, transformando a partida em uma batalha campal. A Guarda Civil interveio, agredindo com cacetetes a jogadores e torcedores, e a partida foi interrompida.

Rubén Paz, meio-campo
Rubén Paz (Meio-Campo, 1982-1986)
Rubén Walter Paz Márquez (Artigas, 8 de agosto de 1959) foi um craque no meio-campo Colorado. Considerado um dos melhores meias do mundo na década de 80, chegou no Inter em 1982, onde permaneceu até 1986. Em 1988, ele foi eleito o melhor jogador das Américas atuando pelo Racing (ARG). Disputou duas Copas do Mundo pela Seleção Uruguaia. No Internacional conquistou os Campeonatos Gaúchos 1982, 1983 e 1984.

Salomón (Zagueiro, 1978)
Francisco Amado Salomón Alzaga (Cerro Largo, 28 de setembro de 1950) havia sido eleito o craque do campeonato uruguaio, atuando pelo pequeno Defensor (URU) e em março de 1978 o Internacional decidiu contratá-lo para preencher a vaga ainda aberta com a saída de Figueroa. Salomon estreou em maio de 1978, no empate em 1x1 com o Coritiba, no Couto Pereira, pelo campeonato brasileiro. O zagueiro começou como titular, mas chegou a perder a titularidade durante algumas partidas, voltando ao time apenas nos últimos jogos. Salomon não adaptava-se ao futebol brasileiro. No Uruguai, ele era o zagueiro da sobra. Em 7 de setembro de 1978, um Gre-Nal pelo campeonato gaúcho, que não valia mais nada, os dois clubes já estavam classificados para as semifinais do turno e jogariam com reservas, mudou sua vida. Logo aos 8 minutos de jogo, o atacante Everaldo entrou na bola com o corpo de lado e o pé levantado, solando o lance. Salomon chutou com força, e o impacto do choque ocasionou fratura exposta da tíbia e perônio. O Internacional venceu por 1x0, e Salomon, que ficaria um longo tempo em recuperação, jamais jogaria pelo Colorado. Pelo Internacional, Salomon jogou 17 partidas (12 vitórias, 4 empates, 1 derrota), marcou 2 gols.

Sorondo (Zagueiro, 2007-2011)
Sorondo, zagueiro
Gonzalo Sorondo Amaro (Montevideo, 9 de outubro de 1979) foi zagueiro do Inter. Sorondo surgiu para o futebol em 1998, jogando pelo Defensor (URU). Destacou-se no Mundial Sub-20 disputado naquele ano e logo se transferiu, aos 22 anos, para a milionária Internazionale (ITA). Em 2007, Sorondo retornou ao Uruguai, novamente para atuar no Defensor (URU), e após se destacar na Copa Libertadores do mesmo ano, o jogador foi contratado pelo Internacional. Teve séria lesão nos ligamentos do joelho esquerdo no segundo semestre de 2007, em partida contra o Vasco. Volta apenas em maio de 2008 a atuar, mas uma semana depois torce novamente o joelho esquerdo. Não consegue se firmar titular do time por causa da sequência de lesões. Em 2010 tem boas atuações, apesar de continuar na reserva. Decisivo nas quartas de final contra o Estudiantes (ARG) na vitória de 1x0, gol de Sorondo de cabeça. No Internacional conquistou os Campeonatos Gaúchos 2008, 2009 e 2011, Copa Sul-Americana 2008, Copa Suruga Bank 2009 e Copa Libertadores da América 2010. Apesar de no grupo, não participou da Recopa Sul-Americana 2011 por estar com uma nova grave lesão no joelho e nem foi inscrito na competição. No encerramento de seu contrato em dezembro de 2011 o Inter não demonstrou interesse em sua continuação. Foi contratado pelo Grêmio para 2012, porém sofreu uma grave lesão em um jogo-treino de pré-temporada, o que fez o Grêmio rescindir o contrato antes mesmo de estreiar no novo clube. A transferência dele para o rival abalou muito a imagem do jogador com a torcida do Internacional.

Tomás Scabillon (Zagueiro, 1912-1913)
Tomás Scabillon estreiou no Internacional em 11 de agosto de 1912, na maior goleada da história do Clube, 16x0 contra o S.C. Nacional. Scabillon marcou um dos gols da partida. Atuou 4 vezes pelo Internacional. O zagueiro uruguaio no ano seguinte foi jogar em Bagé e acabou assassinado por outro jogador, em uma briga de rua.

Volpi (Meio-campo, 1944-1945)
Eduardo José Volpi foi contratado junto ao Nacional (URU). Meio-campista com forte chegada na frente, mas que não gostava muito de marcar e dividir as jogadas, destacou-se na sua estréia no Gre-Nal amistoso de 1944, na Baixada, marcado como a inauguração da bandeira do Grêmio. O Internacional venceu por 7x3 e Volpi marcou três gols no clássico. Sua última partida também foi um Gre-Nal em fevereiro de 1945, resultado empatado em 1x1. Disputou 15 partidas, marcando 6 gols pelo Colorado. Em abril de 1945, descontente com a reserva, pediu para sair do clube. .

Urruzmendi (Atacante, 1969)
José Urruzmendi (25 de agosto de 1944) foi um atacante da Seleção do Uruguai na Copa do Mundo de 1966. Participou da inauguração do Beira-Rio entrando no jogo contra o Benfica no lugar do Valdomiro. O mais marcante de sua passagem no Inter foi a grande briga do Gre-Nal de 20 de abril de 1969 onde apenas Dorinho (Inter) e Alberto (Grêmio) não foram expulsos.


TÉCNICOS

Argentina

Alfredo González (1950-1951)
Alfredo González (Buenos Aires, 11 de Novembro de 1915) foi treinador do Inter em 1950 e início de 1951 quando conquistou o Campeonato Gaúcho de 1950 (disputado no início de 1951). Ainda foram treinados por ele alguns craques do Rolo Compressor como Carlitos e Nena. Também alguns novos craques como Salvador, Oreco e Ênio Andrade.

Carlos Volante (1946-1948)
Carlos Martin Volante (Lanús, 11 de Novembro de 1910) treinou o clube nos anos 40, no período do Rolo Compressor e foi responsável pelo nono e décimo título de Campeonato Gaúcho do Internacional em 1947 e 1948.

Áustria

Henrique Isaac Goldenberg (1937)
Austríaco que estava trabalhando na Argentina, foi um dos três técnicos do Inter em 1937. Depois do Inter treinou Cruzeiro (BRA) e Corinthians (BRA).

Chile

Elias Figueroa (1996)
Elías Ricardo Figueroa Brander (Valparaíso, 25 de outubro de 1946) além de ser um dos maiores craques do Internacional em sua história, em 1996, assumiu o cargo de Gerente de Futebol do Clube. O time era treinado por Nelsinho Baptista que abondonou o Inter por uma proposta do Corinthians. Assim o Gerente de Futebol Figueroa assumiu a condição de técnico no Campeonato Brasileiro 1996. Faltou pouco para levar o Colorado às finais. Conquistando 80% dos pontos disputados sob seu comando. Faltando quatro rodadas para o final da primeira fase, já com o risco de rebaixamento afastado, o Inter precisava vencer todos os jogos para se classificar. Venceu os três primeiros, mas na última rodada perdeu para o rebaixado Bragantino. Apesar da vontade da torcida em sua permanência, a direção preferiu não mantê-lo no cargo.

Peru

Dario Letona (1944 e 1946)
Formado pela Escola Militar do Peru e pela Escola Superior de Educação Física de São Paulo, passou pelo Atlético Mineiro (BRA) e Santos (BRA) antes de treinar o Inter, em 1944 e 1946. Escreveu um livro de técnicas e táticas do futebol mostrando evoluções táticas modernas, por exemplo, o arremesso lateral direto para a área e defendia ter sido o criador do esquema 4-2-4, e em Porto Alegre foi também técnico de natação do União e teve uma academia de cultura física na cidade. Fez frases famosas como: "Futebol é um esporte matemático, precio e exato, desde que cada jogador realize as suas funções" ou "O bom futebol é jogado rasteiro".

Uruguai

Jorge Fossati, técnico
Félix Magno (1949, 1966)
Felix Magno (Las Piedras, 13 de abril de 1909), ex-jogador do Inter nos anos 30, teve duas passagens como treinador sem conquistas. Primeiro de forma meteórica em 1949 e depois em 1966. Treinou diversos clubes brasileiros, com maior destaque para o Atlético Mineiro (BRA) e Coritiba (BRA).

Jorge Fossati (2010)
Jorge Daniel Fossati Lurachi (Montevidéu, 22 de novembro de 1952) chegou em dezembro de 2009 no Internacional com as credenciais de Campeão Sul-Americano 2009 e da Recopa Sul-Americana 2009 pela LDU Quito (EQU). Não conquistou nenhum título pelo Internacional, porém colocou a equipe na semifinal da Libertadores da América 2010, depois conquistada sob o comando de Celso Roth.

Miguel Genta (1930-1932)
Miguel Annibal Genta foi treinador em todo o ano de 1930, também foi técnico do Inter em períodos de 1931 e 1932. Chama atenção que além de técnico também chegou a ser Presidente do Clube, de 5.2.1942 a 11.11.1942, quando renunciou junto com toda a diretoria.

Pedro Rocha (1996)
Pedro Virgilio Rocha Franchetti (Salto, 3 de dezembro de 1942) virou técnico em 1981, após encerrar sua vitoriosa carreira de jogador. Passou por diversos clubes e em 1996 foi o comandante do Internacional na Copa do Brasil e Campeonato Gaúcho. Porém fracassou em ambas competições sendo substituido por Nelsinho Baptista no comando colorado.

Ricardo Diez (1942)
Emetério Seledônio Diéz (Rivera, 27 de abril de 1900) após ter ganho o Campeonato Gaúcho 1937 pelo Grêmio Santanense, assume em 1942 o comando do Inter com grande sucesso, impondo um treinamento forte e eficiente e monta a equipe que passou a ser chamada de Rolo Compressor. Equipe baseada no preparo físico e na qualidade dos jogadores. Conquistou o Campeonato Gaúcho de 1942. Também fez sucesso no Atlético Mineiro (BRA).

Tito Arreguy (1926)
Primeiro treinador estrangeiro do Internacional, em uma época que não havia profissionalismo, nem o profissionalismo "marrom", sofreu com diversas ausências e lesões dos jogadores.

AGRADECIMENTOS
- Museu Ruy Tedesco, Sport Club Internacional
- Claudio Diestmann
- Raul Pons

- Comunidade no Orkut "História do Internacional"

REFERÊNCIAS
- DIENSTMANN, Cláudio. Sport Club Internacional, História de uma paixão. L&PM, 2002.
- DIVERSOS. O Gigante da Beira-Rio entra na Literatura Brasileira. Meridional Emma, 1969.
- OSTERMANN, Ruy Carlos. Meu coração é vermelho. Mercado Aberto, 1999.
- SANTOS, Carlos Lopes dos. Na sombra dos Eucaliptos. Livraria do Globo, 1975.
- SANTOS, Carlos Lopes dos. O Gigante da Beira-Rio. La Salle, 1984.
- COIMBRA, David; NORONHA, Nico; SOUZA, Mario Marcos de. A História dos Grenais.
Artes e Ofícios, 2004.

Contribua com a qualidade deste post. Escreva nos comentários sugestões, informações adicionais, etc.

Observações: 
a) atualizado em setembro de 2011 adicionando os títulos do Campeonato Gaúcho e Recopa Sul-Ameircana para Bolatti, Guinazu e D'Alessandro. Atualizado com a saída do atacante Cavenaghi e o lateral Bustos.
b) atualizado em janeiro de 2012 adicionando o jogador Jesús Dátolo e atualizado o perfil de Sorondo que saiu do clube. Também adicionado texto no perfil de D'Alessandro.
c) atualizado em julho de 2012 adicionando o jogador Diego Forlán e atualizado perfil de Bolatti, D'Alessandro, Dátolo e Guiñazu com a conquista do Campeonato Gaúcho 2012.
d) atualizado em outubro de 2012 adicionando o jogador uruguaio Alberto Beheregaray, conforme informação de Alessandro Moraes e consulta aos amigos da comunidade "História do Internacional".
e) atualizado em abril de 2013 com a saída de Guiñazu e empréstimo de Bolatti.
f) atualizado em julho de 2013 com a contratação de Ignácio Scocco.
g) atualizado em fevereiro de 2014 com as saídas de Scocco e Forlán, chegada de Charles Aranguíz e empréstimo de Bolatti.

11 comentários:

  1. Muito bom o post, posso reproduzir no Supremacia?

    ResponderExcluir
  2. Irei reproduzir no Campeão de tudo, darei seus créditos ok!

    ResponderExcluir
  3. Que material Alexandre, se não se importar farei o mesmo no Blog Vamo, Vamo, Inter!

    Aguardo sua autorização.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo post, muito bom mesmo, excelente trabalho de pesquisa, continue .......

    ResponderExcluir
  5. Ótimo material Alexandre, posso reproduzir do blog Futebol: Alegria do Povo?
    É claro colocarei os créditos a você.

    ResponderExcluir
  6. O trabalho aqui postado é publico e pode ser multiplicado em qualquer blog ou jornal. Autorização total, mas coloca a fonte.

    ResponderExcluir
  7. Sensacional o seu post, Mr Alexandre, tem muita informação e traz muito conhecimento para o torcedor colorado, parabéns.... Isso é um baita trabalho de história, a história dos gringos no colorado do pampas;

    ResponderExcluir
  8. No meu blog eu tenho mais informações sobre o Graham Bell: http://jogadores-colorados.blogspot.com.br/2012/03/graham-bell.html

    E tem ainda o Arqentino ou Uruguaio Beheregaray, zagueiro que jogou em 1914.
    Teve um Eduardo Beheregaray no Grêmio em 1917, não sei se é o mesmo.

    ResponderExcluir
  9. Obrigado Alessandro. Fui atrás de mais informações e adicionei o Alberto Beheregaray, zagueiro de 1914, que não é o mesmo que o Beheregaray (Eduardo) que jogou no Grêmio.

    ResponderExcluir