Quem sou eu

Minha foto
Um amante de esportes, em especial o futebol. Bacharel em Administração, pós-graduado em Finanças e Tecnologia da Informação. No futebol atuou na Vice-Presidência de Administração do Sport Club Internacional de 2007 a 2010 e de 2015 a 2016. Membro da Comissão de Laudos Técnicos dos Estádios pelo Ministério do Esporte e Coordenador-Geral de Modernização da Secretaria Nacional do Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor no Ministério do Esporte em 2011.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

PRECISA-SE DE UM CENTRO-AVANTE

Nasci nos anos 70, tempos de craques jogando no futebol nacional, porém só comecei a ter noção de futebol no final da década. Sempre vi um grande centro-avante comandando a Seleção Brasileira. Careca aposentou, mas já tinha Romário. Romário saiu com Ronaldo dono do posto. Ronaldo não deixou herdeiro.

A Era Careca

Careca, de 1982 a 1993
Tive o prazer de acompanhar Careca assumindo a camisa 9 da Seleção Brasileira. Revelado pelo Guarani, Campeão Brasileiro de 1978, tinha todos os fundamentos. Substituia outro grande, Reinaldo, artilheiro do Atlético MG que sofreu demais com lesões. Careca foi um dos maiores craques dentro da área, goleador com faro de gol, forte habilidade e velocidade.

Em 1982 completava uma Seleção Brasileira perfeita, só feras, grande favorita para a conquista da Copa do Mundo. Porém, sofreu uma grave lesão às vésperas da Copa da Espanha e foi substituído por Serginho. Escolha errada por Telê, pois Dinamite tinha mais as características técnicas daquela seleção.

Transferiu-se em 1983, quando voltou da lesão para o São Paulo. Tornou-se um grande goleador consagrado e titular da Seleção Brasileira em 1986, fazendo excelente Copa do Mundo. Em 1987 partiu para o Napoli e fez dupla com Maradona, um sucesso. Continuou fazendo grande sucesso na Seleção Brasileira, período que surge para o futebol mundial um garoto rápido e baixinho, jogando com a camisa do Vasco e da Seleção Brasileira de categoria de base.

O baixinho Romário

Romário, 1987 a 2001
Em 1988, Romário já era titular da Seleção Brasileira Olímpica, medalha de prata em Seul, e grande jogador na conquista da Copa América de 1989. Muitos já montavam a seleção com Careca e Romário, porém uma lesão no tornozelo tirou Romário da Copa da Itália. Careca foi novamente o avante brasileiro, a última Copa do Mundo deste grande jogador.

Romário já com sucesso na Europa no PSV Eindhoven, transferiu-se para o Barcelona em 1993 e já era considerado o melhor do mundo. Ano que fez a maior atuação de um atacante com a camisa da Seleção Brasilera na vitória de 2x0 contra o Uruguai no Maracanã, dois gols de Romário.

A Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos, foi o auge de sua carreira. Foi o craque da Copa do Mundo, fazendo gols e comandando o Brasil a um título que não conquistávamos desde 1970. Definitivamente escrevia seu nome entre os maiores de todos os tempos. Nesta conquista, um jovem recém revelado para o futebol brasileiro, Ronaldo, estava no grupo campeão, porém não atuou.

Romário voltou em 1995 para o Flamengo e encantava com suas atuações. Ronaldo partia para a Europa, mesmo destino que Romário, o PSV Eindhoven. Romário parte novamente para a Europa em 1996, para o Valência. Em paralelo Ronaldo assume a titularidade da Seleção Brasileira Olímpica, medalha de bronze em Atlanta.

Ronaldo, o Fenômeno

Ronaldo, 1994 a 2006
Em 1997 a dupla de gênios se encontra na Seleção Brasileira. Romário e Ronaldo, a chamada dupla Ro-Ro. Ronaldo, já no Barcelona, era já o melhor do mundo. As esperanças de mais um título mundial ficam balançadas quando Romário, convocado em 1998, é cortado ja na França por causa de um estiramento da panturrilha. Ronaldo assume como o grande craque da seleção e comanda o grupo para a final da Copa do Mundo, porém, uma convulsão e histórias que talvez nunca saibamos, abala a seleção na final e o mundial nos escapa pelos dedos.

Ronaldo é um sucesso mundial. No Barcelona ou na Internazionale, onde ganhou o apelido de Fenômeno, já desponta como um dos maiores de todos os tempos. Mas duas graves lesões no joelho atrapalham a carreira, neste momento ele mostra um grande poder de recuperação. Em 2002, o treinador Felipão acredita em Ronaldo, mas não em Romário. Ronaldo vai para a Copa do Mundo e é o grande craque e goleador da competição. O Brasil é pentacampeão e Ronaldo está na história.

Agora no Real Madrid, o fenômeno ganha o Mundial Interclubes, forma o time chamado de Galácticos com Zidane, Beckham, Figo, Raul e Roberto Carlos. Porém começa a ter problemas com a balança e seu físico não é mais o mesmo. Romário, no Brasil, continua fazendo gols e gols, se aproxima do sonho dos 1.000 gols.

Na Copa do Mundo de 2006, mesmo fora de forma, Ronaldo é a esperança. Novos atacantes surgem, Adriano e Fred são nomes de futuro. Ronaldo faz boa Copa do Mundo, torna-se o maior goleador em copas, mas a seleção cai, novamente frente a França e aos erros de preparação.

Posto vago

Pato, desde 2007
Ronaldo sai da seleção, segue sua carreira no Milan e retorna em 2009 ao Brasil pelo Corinthians. Adriano e Fred são os substitutos. Luis Fabiano chama atenção pela força e raça. O Internacional é campeão do mundo de clubes com um jovem encantador, Alexandre Pato, que transfere-se em 2007 para o Milan. Todos bom jogadores, porém nenhum assume com maestria a vaga de centro-avante da Seleção Brasileira. Luis Fabiano, titular na Copa da África, deixou a desejar no mundial.

Hoje o grande Ronaldo anunciou a aposentadoria no futebol. Um craque se despede. Que seja feliz, ele merece, pois nos fez muito feliz. A vaga de centro-avante na Seleção Brasileira está vaga. Não apareceu dono ainda.

Mano Menezes começou novo ciclo com Alexandre Pato do Milan de titular, jogador jovem que tem muito potencial, porém ninguém sabe se vai confirmar. Adriano tá com a cabeça fora do futebol, não tem mais chances, nem merece. Fred é bom jogador para clube, mas não é jogador de seleção. Luis Fabiano é nível Sevilla, não consegue passar disso e já tem mais de 30 anos. As apostas estão em Alexandre Pato ou em um novo jovem que ainda vai surgir.

Careca, Romário e Ronaldo. Nos acostumamos com craques. A vaga está aberta. Precisa-se de um centro-avante.

Obrigado Ronaldo.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

MAIS DE 50 NOMES COM IDADE OLÍMPICA

O Brasil com a vitória de hoje contra Equador garantiu sua classificação para o Mundial Sub-20. Mais do que o mundial da categoria, estamos muito bem encaminhados para os Jogos Olímpicos de Londres 2012 e mais uma chance de conquistar o tão sonhado ouro olímpico.

Histórico

Inter, o Brasil em 1984
A primeira participação do Brasil foi em 1952, período que apenas amadores jogavam as Olímpiadas. Assim, nunca tivemos grandes participações.

Em 1984 o COI permitiu a participação de profissionais e o Brasil foi representado pela base do Internacional, conquistamos a medalha de prata olímpica. Desde então o Brasil começou a levar a sério o futebol nas olímpiadas.

Em 1988 tinhamos Taffarel, Romário, Bebeto e Jorginho, um grande time que perdeu a final para a extinta URSS. A semifinal contra a Alemanha foi um dos jogos mais emocionantes de todos os tempos, com Taffarel defendendo pênalti no final do jogo.

Após não conseguir classificação para Barcelona 1992, a CBF priorizou a competição para Atlanta 1996. Uma super-equipe foi montada com Ronaldo, Roberto Carlos, Bebeto, Aldair, Dida e Rivaldo. Decepção, fomos eliminados nas semifinais pela Nigéria e ficamos com o bronze. Pior ainda foi a negativa em receber a medalha no pódio.

Em Sidney 2000, a frustração foi grande, eliminado nas quartas-de-final pelos Camarões na morte súbita, voltou para casa sem medalha com uma seleção que tinha Ronaldinho Gaucho, Lúcio e Alex. Para piorar, não classificamos para Atenas 2004 com seleção que tinha Robinho, Diego, Elano e Nilmar. Kaká não jogou o pré-olímpico porque não foi liberado pelo Milan.

Na última olímpiada, em Pequim 2008, ficamos novamente com o bronze com uma equipe com Ronaldinho Gaucho, Alexandre Pato, Lucas, Hernanes, Ramires e Thiago Silva. Agora a derrota nas semifinais foi para a Argentina, com direito a goleada.

Seleção Brasileira em Londres 2012

Ney Franco, com muito mérito, colocou o Brasil nos Jogos Olímpicos de 2012. Tem trabalhado de forma integrada com Mano Menezes. Apresento 50 nomes com idade olímpica, tenho certeza que o Brasil pode montar uma seleção muito forte.

Goleiros

Nei, Fiorentina
Neto (Fiorentina, 19/7/1989) - Revelado pelo Atlético PR, fez ótimo Campeonato Brasileiro em 2010 e chamou atenção de Mano Menezes para a seleção principal do Brasil, convocado pela primeira vez em setembro de 2010. Em 2011 transferiu-se para a Fiorentina para jogar o forte campeonato italiano.

Gabriel (Cruzeiro, 27/9/1992) - Goleiro da base do Cruzeiro, chamou atenção por ter sido convocado por Mano Menezes para um período de treinos em Barcelona pela seleção principal. Foi o goleiro da seleção brasileira sub-20 que classificou o Brasil para as Olímpiadas.

Renan Ribeiro (Atlético-MG, 23/3/1990) - Assumiu a titularidade após o Atlético-MG perder tempo com Fábio Costa, que quase levou o time ao rebaixamento. Quando Renan teve oportunidade, mostrou aos torcedores que é um goleiro seguro e confiável, importante peça na retomada do clube após a contratação de Dorival Jr.

Renan (Avaí, 12/12/1990) - Começou 2010 como terceiro reserva do Avaí, porém conquistou a titularidade no Brasileiro e chamou atenção de Mano Menezes que chamou o goleiro para o grupo de estréia do Mano na seleção, em agosto contra os Estados Unidos. No segundo semestre decaiu e perdeu a titularidade no Avaí, também não foi mais convocado por Mano.

Rafael (Santos, 20/5/1990) - Assumiu a titularidade ainda na Copa do Brasil em 2010, onde conquistou o título. Deu tranquilidade para uma zaga antes contestada. Será titular do Santos na Libertadores da América.

Laterais

Rafael (Manchester United, 9/7/1990) - Titular do Manchester United, clube que se transferiu em 2008 direto das categorias de base do Fluminense, tem sido convocado constantemente por Mano Menezes para a seleção principal. Grandes chances de estar nas Olímpiadas.

Danilo (Santos, 15/7/1991) - Contratado pelo Santos em 2010, foi revelado no América-MG. Assumiu a titularidade do Santos e participou da conquista da Copa do Brasil, porém para 2011 o Santos contratou Jonathan do Cruzeiro e não irá jogar tão seguido. Titular da seleção sub-20 que classificou para as Olímpiadas.

Fagner (Vasco, 11/6/1989) - Bom lateral no Campeonato Brasileiro 2010, sofre por estar no pior Vasco da história. Tem bom apoio e chegada na frente.

Rafael Galhardo (Flamengo, 30/10/1991) - É um lateral com boa bola parada, originário da base do Flamengo promovido aos profissionais em agosto de 2009. Pode atuar também como volante, lateral-esquerdo e meia, uma vantagem porque nas Olímpiadas são apenas 18 convocados.

Diego Renan (Cruzeiro, 26/1/1990) - Originário das categorias de base do Cruzeiro, estreiou nos profissionais em 2008 e assimiu titularidade em 2009. Lateral muito regular, frequentador da seleções de categoria de base, tem grande chance de convocação.

Fábio (Manchester United, 9/7/1990) - Joga na esquerda, mas não conseguiu se firmar no Manchester como o irmão Rafael. Frequentou as seleções de categoria de base, porém precisa jogar mais no Clube para ter chance de convocação.

Alex Sandro (Santos, 26/1/1991) - Jogador constante nas seleções de base, foi revelado pelo Atlético-PR e já atuava nos profissionais em 2008. Contratado pelo Santos em 2010 foi o lateral da seleção sub-20 que classificou o Brasil para os Jogos Olímpicos de Londres.

Gabriel Silva (Palmeiras, 13/5/1991) - Destaque no Palmeiras 2010 quando tomou lugar de Armero, veio da base do Palmeiras, antes passando pela base do Rio Claro. Joga nos dois lados da lateral, mas preferencialmente na esquerda.

Bruno Collaço (Grêmio, 8/6/1990) - Revelado na base do Grêmio, foi para os profissionais em 2009 quando teve grande sequencia de jogos. Ainda imaturo, a torcida pegou no pé, tanto que foi emprestado em 2010 para a Ponte Preta. Considerado o melhor lateral-esquerdo da Série B, retornou 2011 para jogar a Libertadores pelo Grêmio, onde assumiu a titularidade após bom Gre-Nal pelo Campeonato Gaúcho.

Zagueiros

Sidnei (Benfica, 23/8/1989) - Após passar por todas categorias de base do Internacional e atuar nas seleções de base, Sidnei subiu ao grupo principal em 2007 e titular do Inter em 2008, quando foi vendido ao Benfica. Manteve destaque no futebol português e já chama atenção de Mano Menezes até para a seleção principal.

Mario Fernandes (Grêmio, 19/9/1990) - Lançado diretamente em um Gre-Nal de 2009, foi destaque do jogo e mostrou desde o início que se tratava de um jogador diferenciado. Jogou improvisado na lateral-direita em 2009 e 2010. Pediu para jogar apenas de zagueiro, pensando no mercado europeu, porém sofreu grave lesão que afastou por quase todo segundo semestre de 2010. Retornou a atuar em 2011 e agrada muito Mano Menezes.

Manoel (Atlético-PR, 26/2/1990) - Natural do Maranhão, foi revelado na base do Atlético e subiu para os profissionais ainda em 2009. Tem ótimo porte físico e titular do Furacão já por dois anos. Sondado para ir pro Corinthians ou Internacional. É nome forte para a convocação.

Breno (Bayern München, 13/10/1989) - Subiu muito cedo no São Paulo e já foi considerado o melhor zagueiro do Campeonato Brasileiro de 2007. No final do mesmo ano foi vendido para o Bayern de Munique pelo valor milionário de 12 milhões de euros. Jogou as Olímpiadas de 2008 em Pequim. No Bayern teve poucas chances e foi emprestado para o Nuremberg em 2010. Após grave lesão no joelho, foi devolvido ao Bayern para a atual temporada. Apesar de não ser titular, tem tido algumas oportunidades.

Rafael Tolói (Goiás, 10/10/1990) - Revelado nas categorias de base do Goiás e promovido em 2008, muitos achavam que iria decolar. Porém o zagueiro tem feito atuações medianas e afundou junto com o time no Brasileiro 2010. Com experiência em seleções de base, é boa opção para as Olímpiadas, porém seria bom sair do Goiás.

Bruno Uvini (São Paulo, 3/6/1991) - Titular e capitão da seleção brasileira sub-20 que classificou para as Olímpiadas, fez ótimo sul-americano e sendo destaque do time de Ney Franco até sofrer grave lesão. As chances de convocação nas Olímpiadas dependem da continuidade de atuações no São Paulo.

Juan (Internacional, 10/6/1991) - Revelado no Inter como zagueiro, teve oportunidades no grupo principal como lateral-esquerdo e não foi bem. Porém acabou sendo confirmado no Mundial de Clubes e foi titular do Brasil no sul-americano sub-20, onde teve excelente atuação, exceto no jogo contra a Argentina que foi expulso logo no início da partida.

Saimon (Grêmio, 3/4/1991) - Revelado na base do Grêmio teve chances na seleção sub-20 após lesão de Bruno Uvini e mostrou bom futebol. Antes já tinha atuado quando o Brasil colocou os reservas, sendo capitão neste jogo. Fez bom sul-americano, apesar da reserva.

Romário (Internacional, 28/6/1992) - Revelado no Inter, fez boa atuação no Campeonato Brasileiro sub-23, mesmo com pouca idade foi titular. Na seleção sub-20 foi reserva no sul-americano, porém entrou em alguns jogos e sempre foi seguro. Se tiver aproveitamento no Inter terá chance de ir as Olímpiadas.

Volantes

Sandro, Tottenham
Sandro (Tottenham, 15/3/1989) - Subiu para os profissionais do Internacional em 2008 e logo já chamou atenção da grande qualidade e habilidade. Assumiu a titularidade em 2009, após negociação de Edinho e em 2010 teve seu grande ano ao ganhar a Libertadores da América, ser convocado para a seleção principal e negociado com o Tottenham. É nome certo na convocação.

Casemiro (São Paulo, 23/2/1992) - Com apenas 18 anos, assumiu a titularidade do meio-campo do São Paulo. Com forte poder de marcação, velocidade e chegada na frente, é o exemplo de volante moderno. Titular e um dos destaques da seleção sub-20, tem grandes chances de estar nos Jogos Olímpicos 2012.

Tinga (Palmeiras, 12/10/1990) - É um jogador habilidoso, com boa qualidade técnica e velocidade. Destacou-se na Ponte Preta em 2009, tanto que acabou na seleção sub-20 daquele ano. Transferiu-se para o Palmeiras em 2010 e assumiu a titularidade logo que chegou.

Fernando (Grêmio, 3/3/1992) - Volante de boa marcação e chute a distância, iniciou o sul-americano sub-20 na reserva de Zé Eduardo, porém assumiu a titularidade no final da primeira fase. Se o Grêmio der chance dele jogar, terá grande chance de aparecer nas Olímpiadas.

Rafael Carioca (Spartak Moscou, 18/6/1989) - Revelado nas categorias de base do Grêmio, fez um excelente ano de 2008 em sua estréia nos profissionais. Chamou atenção do Spartak Moscou, clube que investiu 4 milhões de euros pela jovem promessa. Porém na Russia não se adaptou, retornando em 2010 emprestado ao Vasco da Gama onde foi muito irregular.

Zé Eduardo (Parma, 16/8/1991) - Revelado pelo Cruzeiro, saiu para o Ajax (HOL) muito cedo, praticamente o torcedor não viu atuar no Brasil. Em 2010 transferiu-se para o Parma (ITA). Iniciou o sul-americano sub-20 como titular, mas perdeu espaço após atuações apenas medianas.

Maylson (Grêmio, 6/3/1989) - Revelado no próprio Grêmio, surgiu como um volante de qualidade e chegada na frente, fazendo gols. Fez ótimo Campeonato Gáucho 2010, porém decaiu muito no segundo semestre e a torcida pega no pé do jogador que também não tem muito o agrado do técnico Renato Portaluppi. Se voltar a atuar no Grêmio no mesmo nível do início de 2010 tem chances.

Boquita (Bahia, 7/4/1990) - Após conquista da Copa SP de Juniores pelo Corinthians, subiu para o grupo principal e entrou frequentemente no time em 2009 e 2010. Período que chegou a seleção brasileira sub-20. Porém, com a chegada de Tite, não foi mais aproveitado. Desta forma, foi emprestado ao Bahia para manter atividade e pegar experiência.

Meias

Neymar e Ganso, Santos
Paulo Henrique Ganso (Santos, 12/10/1989) - Um dos craques desta seleção, ao lado de Neymar, tem tudo para ser um dos maiores jogadores do futebol brasileiro. Cotado par a Copa do Mundo 2010, ficou na pré-lista, mas não foi ao Mundial. Grande comandante do Santos na conquista da Copa do Brasil em 2010, sofreu grave lesão no início do segundo semestre e está retornando as atividades apenas agora no início de 2011.

Lucas (São Paulo, 13/8/1992) - Durante a categoria de base tinha o apelidado de "Marcelinho", pela semelhança com o ex-Corinthiano, nome que carregou até os profissionais, quando pediu para usar seu nome verdadeiro "Lucas". Rápido e habilidoso, pode jogar tanto no meio como ataque. Foi um dos destaques da seleção brasileira sub-20 no Campeonato Sul-Americano.

Giuliano (Dnipro, 31/5/1990) - Revelado pelo Paraná, quando eleito o melhor jogador da Série B em 2008, foi contratado pelo Internacional em 2009, ano que chegou a seleção brasileira sub-20. Em 2010 foi eleito o melhor jogador da Copa Libertadores da América, quando foi decisivo para a conquista do Inter. Desempenho que levou para a seleção principal por Mano Menezes. Porém, no início do ano foi para o futebol ucraniano, no Dnipro. Talvez a distância prejudique sua convocação.

Philippe Coutinho (Internazionale, 12/6/1992) - Revelado pelo Vasco, foi contratado pela Internazionale com menos de 18 anos, permanecendo no Vasco por empréstimo até transferir-se para o clube italiano em 2010. Habilidoso, rápido e com boa visão de jogo, sempre foi jogador das seleções de base e, se não fosse uma lesão, estaria no sul-americano sub-20. Já frequentador da seleção principal com Mano Menezes, tem grande chance de disputar os Jogos Olímpicos.

Oscar (Internacional, 9/9/1991) - Revelado na base do São Paulo, onde era considerado o "novo Kaká", transferiu-se para o Inter em 2010 a tempo de compor o grupo para o Mundial de Clubes, antes disso foi campeão do brasileiro sub-23 pelo Inter. Não conseguiu ainda uma sequencia de boas atuações, na seleção sub-20 iniciou como titular, perdeu a posição, mas no quarto jogo retomou a titularidade. Suas chances nas Olímpiadas dependem de como o Inter irá aproveitá-lo esse ano.

Douglas Costa (Shakhtar Donetsk, 14/9/1990) - Revelado no Grêmio, atua na meia e no ataque. Driblador e com boas assistências, chamou atenção de diversos clubes europeus, porém transferiu-se para o Shakhtar em janeiro de 2010. Frequente nas seleções de base, já teve convocação por Mano Menezes para a seleção principal.

Alan Patrick (Santos, 13/5/1991) -É considerado uma promessa, Tem estilo parecido com Paulo Henrique Ganso, apesar de ser destro, joga no meio-campo, e tem como especialidade jogada de bola parada e chute fora da área. Costuma entrar no segundo tempo das partidas pelo Santos e está no grupo do sul-americano sub-20. Terá chances nas Olímpiadas apenas se atuar mais pelo Santos.

Bernardo (Cruzeiro, 20/5/1990) - Foi promovido aos profissionais em 2009 para a equipe profissional do Cruzeiro, após se destacar na Copa São Paulo de juniores, onde foi o artilheiro da competição. O jogador foi elogiado repetidas vezes pelo seu primeiro treinador nos profissionais, Adílson Batista, que, entretanto, destacou como pontos francos que devem ser corrigidos a falta de atenção e a imaturidade no posicionamento em campo quando o seu time não possui a posse de bola. Emprestado ao Goiás no Brasileiro 2010, foi bem, apesar do time ter sido rebaixado. Para 2011 foi emprestado mais uma vez, agora para o Vasco da Gama.

Atacantes

Neymar (Santos, 5/2/1992) - Grande craque da nova geração, Neymar foi nome lamentado na Copa do Mundo 2010 e nome certo para os Jogos Olímpicos 2012. Chamou atenção desde muito garoto, frequentou todas as seleções de categoria de base e chegou aos profissionais do Santos em 2009. Em 2010 veio a maturidade, após grandes atuações no Campeonato Paulista e Copa do Brasil, ambos conquistados pelo Santos, teve discussão pública com o treinador Dorival Jr. Episódio que fez o jogador amadurecer muito e seu talento crescer ainda mais. Destaque do sul-americano sub-20, já é titular desde agosto de 2010 da seleção principal.

Alexandre Pato, Milan
Alexandre Pato (Milan, 2/9/1989) - Um dos nomes certos para as Olímpiadas, revelado pelo Internacional quando encantou o mundo aos 17 anos na conquista do Mundial de Clubes 2006. No ano seguinte já foi para o Milan, onde manteve um bom nível, apesar de pesar a inexperiência. Já tem experiência de Olímpiadas, jogou em Pequim na conquista do bronze. Nome sempre convocado por Mano Menezes para a seleção principal.

Dentinho (Corinthians, 19/1/1989) - No início de sua carreira, destacou-se nas categorias de base junto de Lulinha. O jovem jogador foi chamado para a categoria profissional do Corinthians pelo técnico Paulo César Carpeggiani e fez sua estréia pelo Timão em junho de 2007. Foi titular na conquista da Copa do Brasil 2009 pelo Corinthians e já possui mais de 150 jogos com a camisa alvinegra com mais de 50 gols como profissional.

André (Bordeaux, 27/7/1990) - Subiu em 2009, mas chamou muita atenção em 2010, ano que fez excelente Copa do Brasil quando conquistou o título pelo Santos. Também destacou-se no Campeonato Paulista. No meio do ano foi vendido para o Dínamo de Kiev. Constantemente convocado por Mano Menezes, não conseguiu repetir na Ucrânia as boas atuações, apesar de receber oportunidades, tanto que em 2011 foi emprestado para o Bordeaux (FRA). É nome com grandes chances de ir para as Olímpiadas se conseguir retomar as boas atuações no clube.

Maicon (Lokomotiv Moscou, 19/2/1990) - Destaque do Fluminense, onde apelidaram de Maicon Bolt por causa de sua velocidade, lembrando o nome de Usain Bolt, foi promovido para o elenco principal em 2009, mesmo ano que foi covocado para seleção brasileira sub-20 e jogou o mundial do Egito, onde teve grande participação. Destaque no Brasileirão e Copa Sul-Americana de 2009, chamou atenção e foi vendido no início de 2010 para o futebol russo.

Alan (RB Salzburg, 10/7/1989) - Revelado no Londrina, chegou ao Fluminense após olheiros do clube observarem o potencial do garoto na Copa SP de Juniores. Em 2008 estreou no time principal do Fluminense e sempre chamou atenção pela velocidade e oportunismo. Apesar de Muricy querer aproveitá-lo, a diretoria vendeu seu passe para o RB Salzburg da Áustria na metade de 2010. Por estar no futebol austríaco, será difícil ser convocado.

Diego Maurício (Flamengo, 25/6/1991) - Foi promovido para o elenco principal do Flamengo por Rogério Lourenço em 2010, com quem já havia trabalhado nas categorias de base. Com as saídas de alguns jogadores do Flamengo, Diego ganhou mais espaço no elenco. Suas boas atuações ao longo do Brasileirão fizeram com que o garoto logo se tornasse titular do elenco rubro-negro. Apesar de reserva, fez bom sul-americano sub-20, entrando sempre no time e fazendo gols importantes.

Walter (Porto, 22/7/1989) - Revelado nos juniores do São José, ainda na categoria de base transferiu-se ao Internacional. Participou das seleções de base, porém tem cabeça muito fraca. Quando tornou-se titular do Internacional na Libertadores 2010, sumiu dos treinos e do clube, acabou afastado e depois negociado com o Porto, mesmo o Inter precisando em plena Libertadores 2010. Tem futebol, mas não tem cabeça.

Leandro Damião (Internacional, 22/7/1989) - Revelado na várzea catarinense, o garoto quase não participou das divisões de base. Em 2010 chamou atenção pelo Inter B, time do Inter que disputou o Campeonato Gaúcho enquanto o grupo principal priorizava a Libertadores. Assim, acabou inscrito na Libertadores e fez um dos gols da final na conquista do bi-campeonato. Em 2011 começa o ano como titular, porém suas chances na seleção dependem da continuidade da titularidade no Inter, principalmente agora com o recém contratado Cavenaghi.

Marquinhos (Internacional, 21/7/1990) - Revelação do Internacional de 2009 em um final de campeonato que classificou para a Libertadores 2010 e quase o título brasileiro. É a nova promessa do Colorado, porém em 2010 acabou sofrendo seguidas lesões e quase não atuou. Recomeça no Inter B em 2011 no Campeonato Gaúcho e será aproveitado por Celso Roth no grupo principal.

Ricardo Goulart (Internacional, 5/6/1991) - Revelado pelo Santo André, vice-campeão paulista 2010, chegou no Inter no meio do ano e foi um dos destaques na conquista do Campeonato Brasileiro sub-23. No início do ano de 2011 assumiu a titularidade do Inter B e tornou-se um dos goleadores do campeonato estadual. Receberá chances de Celso Roth no grupo principal.

Wellington Silva (Levante, 6/1/1993) - Revelado pelo Fluminense, encantou por poucos jogos em 2010. Chamou atenção do Arsenal (ENG) e saiu prematuramente. Para pegar experiência, foi emprestado para o Levante da Espanha.

Willian José (São Paulo, 23/11/1991) - Iniciou sua carreira nas categorias de base do CRB no ano de 2006. No ano de 2008, veio para as categorias de base do Grêmio Barueri, que mais tarde se tornaria Grêmio Prudente, sendo o artilheiro do time no Campeonato Paulista Sub-17 com 10 gols. Em 2009, com apenas 17 anos, Willian estreou nos profissionais porém sem grande destaque. Em 2010 teve mais chances e chamou atenção do São Paulo que o contratou, porém ainda não estreou no tricolor paulista. Titular da seleção sub-20 com Ney Franco, iniciou o sul-americano sub-20 na reserva, mas assumiu a titularidade já no segundo jogo, no lugar de Henrique.

Henrique (São Paulo, 27/5/1991) - Destaque do tricolor paulista na Copa SP de Juniores em 2009, quando foi goleador, foi integrado no grupo principal no mesmo ano, porém atuou muito pouco. Em 2010, sem muitas chances, foi emprestado ao Vitória, retornando ao São Paulo em 2011. Iniciou o sul-americano sub-20 como titular de Ney Franco. Foi expulso na primeira partida e perdeu a posição para Willian José, porém entra seguidamente na seleção.

Lucas Gaúcho (São Paulo, 13/6/1991) - Sendo artilheiro e um dos principais jogadores do São Paulo na Copa SP de Juniores em 2010, Lucas Gaúcho foi integrado no elenco do São Paulo em agosto ainda com o técnico Ricardo Gomes, mas não teve chances com o técnico. Entrou em alguns jogos no segundo semestre e será mais utilizado em 2011. Estava no grupo do Brasil para o sul-americano sub-20, mas acabou cortado por Ney Franco.

Caio (Botafogo, 9/8/1990) - Com uma história diferente, foi revelado nos Estados Unidos, onde atuou por cinco anos. Após atuar no Volta Redonda, acabou no Botafogo em 2009, porém sem oportunidades. Em 2010 o jogador se tornou uma espécie de talismã do técnico Joel Santana, entrando em três jogos da Taça Guanabara e fazendo três gols, inclusive o que garantiria a vaga do clube à final da Taça Guanabara em jogo contra o favorito Flamengo. No Botafogo foi campeão estadual em 2010. Se conseguir deixar de ser tão fominha, pode ganhar mais destaque no futebol.

Alex Teixeira (Shakhtar Donetsk, 6/1/1990) - Iniciou sua carreira nas categorias de base do Vasco em 1999. Chamou a atenção por ter sido considerado "revelação mundial" pela FIFA em 2008. No início da temporada de 2008, o jogador foi promovido à equipe profissional do Vasco da Gama, sendo considerado a maior revelação dos últimos tempos. Porém o rebaixamento da equipe prejudicou. Após disputar a Série B pelo Vasco, na janela de transferências de janeiro de 2010 Alex Teixeira foi transferido para o FC Shakhtar Donetsk pelo cerca de R$ 15,3 milhões. Alex tem sido presença constante nos elencos da seleção brasileira de base.

Patrik (Palmeiras, 19/7/1990) - O jovem Patrik, destaque das categorias de base do Verdão, atuou no São Caetano-SP entre 2007 e 2009. Com chances em 2011 no grupo principal, tem sido destaque e artilheiro do Palmeiras nos primeiros jogos do ano no Campeonato Paulista.

Os 18 convocados

Falta ainda um ano e meio para os Jogos Olímpicos, seria muito precipitado apontar os 18 convocados no momento, ainda mais por tratar de jovens e há muita oscilação. Porém vou apresentar uma lista de 18 convocados para termos a dimensão do grande grupo que podemos montar.

Goleiros: Neto (Fiorentina), Rafael (Santos)
Laterais: Rafael (Manchester United), Diego Renan (Cruzeiro)
Zagueiros: Mario Fernandes (Grêmio), Manoel (Atlético-PR), Breno (Bayer München), Sidnei (Benfica)
Volantes: Sandro (Tottenham), Casemiro (São Paulo), Tinga (Palmeiras)
Meias: Giuliano (Dnipro), Lucas (São Paulo), Ganso (Santos), Philippe Coutinho (Internazionale)
Atacantes: Neymar (Santos), Alexandre Pato (Milan), Leandro Damião (Internacional)

Considerando que ainda pode levar três jogadores acima de 23 anos, vejo que estamos com uma seleção muito forte. Acredito que finalmente vamos conquistar o ouro olímpico.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

BOLATTI, UN NUEVO HERMANO

O argentino Mario Bolatti, 25 anos, chegou hoje ao Internacional. Fará exames médicos e assinará contrato durante a semana.

Tem como característica ser incansável na marcação e ter excelente posicionamento. Tem muita facilidade para sair jogando e um bom lançamento.

D'Alessandro, Guiñazu, Cavenaghi e Bolatti. O Internacional alia a qualidade do futebol brasileiro e argentino e vai forte em busca de mais uma grande conquista.



Veja a lista de todos estrangeiros que já vestiram a camisa do Internacional, agora atualizada com Bolatti. CLIQUE AQUI!!!