Quem sou eu

Minha foto
Um amante de esportes, em especial o futebol. Bacharel em Administração, pós-graduado em Finanças e Tecnologia da Informação. No futebol atuou na Vice-Presidência de Administração do Sport Club Internacional de 2007 a 2010 e de 2015 a 2016. Membro da Comissão de Laudos Técnicos dos Estádios pelo Ministério do Esporte e Coordenador-Geral de Modernização da Secretaria Nacional do Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor no Ministério do Esporte em 2011.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

BEM-VINDO FALCÃO

Falcão na Seleção Brasileira em 1991
Paulo Roberto Falcão é o melhor jogador da história do Internacional. Craque de alta categoria, também lider, guerreiro e determinado. Mais que isso, um campeão com diversos titulos gaúchos e o tri-campeonato brasileiro. Craque não somente no Beira-Rio, encantou a Europa e foi campeão pelo Roma no momento que o Campeonato Italiano era o maior do mundo.

Em 1990 a Alemanha foi campeã mundial com Franz Beckenbauer estreiando como treinador, diretamente na seleção. Motivado por este fato, a CBF lança Falcão como treinador em um dos momentos mais difíceis da história da Seleção Brasileira pois a geração Zico, Falcão, Careca e Socrates tinha acabado, 20 anos sem títulos mundiais e o futebol brasileiro com carência de craques afirmados. Lançou na seleção alguns jogadores que 3 anos depois seriam campeões mundiais como Cafu, Mauro Silva e Márcio Santos.

No seu primeiro clube, o América do México, teve relativo sucesso, conquistou a Copa Interamericana em 1991 e a Copa dos Campeões da CONCACAF em 1992. No segundo semestre de 1993 assumiu pela primeira vez o comando do Sport Club Internacional, com apoio total da torcida, porém um clube muito desorganizado. Foram 17 jogos, com 8 vitórias, 4 empates e 5 derrotas. E ainda na fase dos amistosos de pré-temporada em 1994 deixou o clube para ser o treinador da Seleção Japonesa, onde ficou até 1995.

Em 1996 assumiu como principal comentarista na Rede Globo, local que teve destaque por sua clareza, imparcialidade e conhecimento de futebol. Também atuando na Rádio Gaúcha e jornal Zero Hora.

O desejo do desafio de voltar para o vestiário era grande. Oportunidades surgiram nos últimos anos, porém o Internacional nunca convidou Falcão, mas agora chegou a vez, com a saída de Celso Roth e a vontade de mudança radical na estrutura do pensamento de futebol, o Inter ousou e trouxe de volta para casa nosso grande ídolo.

Dificuldades serão muitas, não existe vida fácil para treinador, porém Falcão é uma pessoa de desafio em sua essência. A ausência no vestiário por anos será compensada com o estudo e bagagem técnica que possui, sem falar do forte apoio do torcedor.

Hoje na apresentação (video abaixo) pode se ver as idéias e o controle do vestiário que exercerá. A motivação do torcedor é grande e chegou a hora do nosso ídolo nos dar novas alegrias. Boa sorte Falcão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário