Quem sou eu

Minha foto
Um amante de esportes, em especial o futebol. Bacharel em Administração, pós-graduado em Finanças e Tecnologia da Informação. No futebol atuou na Vice-Presidência de Administração do Sport Club Internacional de 2007 a 2010 e de 2015 a 2016. Membro da Comissão de Laudos Técnicos dos Estádios pelo Ministério do Esporte e Coordenador-Geral de Modernização da Secretaria Nacional do Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor no Ministério do Esporte em 2011.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

AUDI CUP 2011 - INTERNACIONAL 2x2 MILAN

Para a decisão de terceiro lugar, o Internacional, pensando na longa viagem de volta para o Brasil e no jogo de domingo pelo Campeonato Brasileiro, escalou um time praticamente reserva para enfrentar o Milan.

João Paulo, destaque pelo Internacional
Somente Bolivar e Leandro Damião, por não jogar o Brasileiro pelo terceiro amarelo, estavam no time. Alguns garotos foram colocados em campo, jogadores que praticamente estreiavam no grupo principal como Dalton, Elton, Zé Mario e João Paulo. Outro recém promovido entrou aos 29 minutos, Lucas Roggia substituiu Gilberto que sentiu lesão.

Com o time desconfigurado, havia medo da torcida de tomar goleada, ainda mais vendo o Milan com força máxima. Em campo Gattuso, Seedorf, Ibrahimovic, Alexandre Pato e Robinho. E aos 2 minutos um golaço do Milan, após belíssimo passe de Seedorf, Ibrahimovic fez de letra. Medo de um passeio.

Mas o que vimos a partir daí foi uma imposição e tranquilidade do Internacional. Comandados por João Paulo, equilibramos o jogo e entramos no campo do Milan. Troca de passes e aproximação. Em grande jogada pela direita de Gilberto e cruzamento rasteiro, Leandro Damião apareceu como um verdadeiro centro-avante que é e empurrou para o gol, aos 22 minutos o Internacional empatava o jogo.

O Internacional continou mandando no jogo, teve grande chance em um contra-ataque que teve Leandro Damião, Lucas Roggia e Wilson Mathias contra dois zagueiros italianos, mas não fez. Acabou o primeiro tempo melhor e confiante em campo.

No segundo tempo Andrezinho entrou no lugar de Zé Mario. Milan voltou pressionando e melhor. Inter tentando os contra-ataques. Aos 14 minutos, em bela jogada de Ibrahimovic e Robinho, Pato recebeu sem goleiro e empurrou para o gol fazendo Milan 2x1.

Aos 22 minutos do segundo tempo começaram a sequencia de alterações. Dois times mudaram bastante e o jogo perdeu em emoção. Os dois times foram tentando sem muita criatividade, mas aos 34 minutos após arrancada de Lucas Roggia e depois tentativa de conclusão de Ricardo Goulart, a bola sobrou para D'Alessandro que empurrou para o gol empatando o jogo. No geral um jogo muito equilibrado.

Nos pênaltis deu Internacional, Renan pegou de cara pênaltis batido por Valoti e Cassano. D'Alessandro e Nei acertaram e Oddo errou outro para o Milan ao tocar na trave. Glaydson errou pelo Inter. E Renan, espetacular, ao defender pênalti de Alexandre Pato garantiu a terceira colocação pro Inter.

O Internacional ficou em terceiro lugar do torneio, fez um bom papel entre os gigantes do futebol mundial. Voltará invicto para o Brasil. Parabéns pela participação, este intercâmbio deveria ser anual para que o Clube crescesse cada vez mais.

ATUAÇÕES
ÓTIMO: Renan, João Paulo
BOM: Gilberto, Leandro Damião, D'Alessandro
MÉDIO: Bolivar, Dalton, Fabrício, Zé Mario, Lucas Roggia, Ricardo Goulart, Andrezinho, Nei
RUIM: Glaydson, Elton, Wilson Mathias
PÉSSIMO: -
SEM AVALIAÇÃO: Kleber

terça-feira, 26 de julho de 2011

AUDI CUP 2011 - INTERNACIONAL 2x2 BARCELONA

Parabéns para o Internacional. Representou bem a sua grandeza em um jogo difícil, ainda mais que estavamos com diversos desfalques e em momento de mudança do departamento de futebol.

Nei e Leandro Damião, autores dos gols do Inter
Repetimos alguns erros conhecidos, principalmente ao não ter um time equilibrado no primeiro tempo. Mais uma vez colocamos uma formação com três volantes. Recuados, deixamos o Barcelona com a posse de bola em 69% do primeiro tempo. Não conseguimos jogar. Com apenas um atacante, Leandro Damião estava isolado e consequentemente sobrava defensores do Barcelona para forçar marcação em D'Alessandro que foi muito apagado no primeiro tempo. Saímos perdendo de 1x0 e fomos envolvidos no toque de bola.

No segundo tempo, bastou colocar um outro avante no lugar de um volante, mesmo sendo Ricardo Goulart de má atuação, que a equipe já ficou melhor distribuida em campo e o jogo equilibrou. O Barcelona teve que mudar o posicionamento de seus defensores e a atuação de D'Alessandro cresceu muito. Jogamos de igual para igual no segundo tempo, chegamos ao empate em ótimo passe de D'Alessandro para Damião em que Nei conclui o rebote. Logo depois, Barcelona após erro da defesa volta a estar na frente do marcador. Osmar Loss promove a entrada de diversos jogadores, entre eles os garotos João Paulo, Lucas Roggia e Zé Mario. Faltando 5 minutos para o fim, escanteio batido por João Paulo e o atacante Leandro Damião sobe mais alto para empatar o jogo. A decisão foi para os penâltis.

Perdemos nos pênaltis, com duas bolas para fora. Damião e Zé Mário erraram as cobranças. Kleber e João Paulo acertaram. Acredito que Bolivar, Wilson Mathias e Glaydson deveria ter batido antes dos garotos que faziam ali a estreia no futebol profissional. Bolivar principalmente por ser o capitão. Zé Mário, por exemplo, nunca tinha ficado sequer no banco de reservas do grupo principal.

ATUAÇÕES
ÓTIMO: Muriel,
BOM: Nei, Andrezinho, Leandro Damião
MÉDIO: Elton, Bolatti, Tinga, D'Alessandro,
RUIM: Bolivar, Rodrigo Moledo, Kleber, Ricardo Goulart
PÉSSIMO: -
SEM AVALIAÇÃO: Wilson Mathias, Glaydson, Zé Mario, João Paulo, Lucas Roggia

Quarta-feira, dia 27 de julho, as 13h15 tem a decisão do terceiro lugar. Osmar Loss já anunciou que dará mais tempo aos garotos. Vamos ver o que nos espera.

domingo, 24 de julho de 2011

URUGUAI, O GRANDE CAMPEÃO DA COPA AMÉRICA

Parabéns ao Uruguai pela conquista de mais uma Copa América. Atualmente brasileiros e argentinos devem admitir que o Uruguai é a principal força de nosso continente. A única seleção sul-americana nas semifinais da Copa do Mundo 2010, mostrou novamente este ano que é a mais forte.

Jogadores uruguaios comemoram a conquista da 15a Copa América do país
A dupla Luís Suarez e Diego Forlán sobraram nesta Copa América. Com o Brasil e Argentina com salto alto e achando que ganham a qualquer momento de qualquer um, mais uma vez ficaram no meio do caminho. O Uruguai que tem entrosamento e qualidade tornou-se logo a favorita ao título, o que confirmou na final contra o Paraguai em uma grande vitória de 3x0

A campanha do Uruguai foi:
- Uruguai 1x1 Peru - 1a fase
- Uruguai 1x1 Chile - 1a fase
- Uruguai 1x0 México - 1a fase
- Uruguai 1x1 Argentina (Pênaltis 5x4) - Quartas de final
- Uruguai 2x0 Peru - Semifinal
- Uruguai 3x0 Paraguai - Final

LUIS SUAREZ, O CRAQUE DO CAMPEONATO

A minha seleção da Copa América tem Justo Villar (PAR); Ivan Piris (PAR), Diego Lugano (URU), José Manuel Rey (VEN) e Gabriel Cichero (VEN); Arévalo Rios (URU), Yohandry Orozco (VEN), Lionel Messi (ARG) e Diego Forlán (URU); Pablo Guerrero (PER) e Luís Suarez (URU). Técnico: Oscar Tabarez (URU).

Luís Suarez (Uruguai)
E nesta seleção com diversas surpresas (jamais imaginei colocar três jogadores venezuelanos em uma seleção de Copa América), ninguém jogou mais que Luís Suarez, jovem de 24 anos, herói uruguaio na Copa do Mundo quando foi expulso no último minuto da prorrogação ao salvar um gol colocando a mão na bola e sendo expulso.

Muita raça, mas extrema qualidade. Revelado pelo Nacional, Luís Suarez está em um seleto grupo dos que fizeram mais de 100 gols com a camisa do Ajax, clube que defendeu de 2007 a 2010. Neste grupo estão Johann Cruyff, Marco van Basten, Dennis Bergkamp e Klass-Jan Huntelaar. Por 26,5 milhões de euros trocou Amsterdan por Liverpool. Forma com Diego Forlán uma dupla infernal no ataque da Celeste.

Há 3 anos da Copa do Mundo no Brasil, Luís Suarez pode ser o novo Ghiggia? O Brasil tem errado muito e essa Copa América apenas reforçou os problemas.

FERNANDÃO, O NOVO DIRETOR

Fernandão, Diretor de Futebol
Em agosto de 2010, em meio aos confrontos de Inter x São Paulo pela Libertadores da América, ao ver alguns torcedores chateados com Fernandão por estar jogando no São Paulo contra o Internacional, escrevi um post chamado "Fernandão, ídolo eterno".

Neste texto apresentei a trajetória de Fernandão no Inter e nos outros clubes e encerrei o texto com "E tenha certeza, a história Internacional e Fernandão não encerrou ainda. Nos encontraremos muito nessa vida. Fernandão tem um capítulo especial na história do Internacional e este capítulo ainda não tem ponto final".

E estava certo, Fernandão em meio ao incêndio da saída de todo o comando de futebol colorado, com acusações públicas de Siegmann e Falcão contra Luigi, veio para ser o bombeiro e acalmar os ânimos. Fernandão volta para uma posição carente há dois meses, quando o anterior diretor, Newton Drummond, saiu do Clube.

Vejo total acerto na contratação de Fernandão. Também dá para notar que ele não vem exatamente para a posição de Newton Drummond. Fernandão estará mais próximo do treinador, Drummond era mais próximo da logística e administração do vestiário.

Com seu discurso positivo, Fernandão apazigou o ambiente, virou referência para os jogadores, muitos deles trabalharam diretamente com Fernandão no próprio Inter. A escolha do técnico será fundamental para que o ambiente positivo continue.

Porém é válido ressaltar, a escolha do treinador tem que ser do Vice-Presidente de Futebol Luís Anápio. Fernandão tem sua função na diretoria de futebol, mas a responsabilidade do Vice-Presidente não pode ser transferida. Recentemente estamos vendo uma sequência de transferência de responsabilidade no Clube e isto tem sido muito prejudicial.

Boa sorte capitão, que aplique seu conhecimento em prol do Inter e mais taças sejam erguidas com a sua participação. Seja bem-vindo a sua casa.

AUDI CUP 2011 - CONFRONTO DE GIGANTES

Nesta terça-feira, dia 26 de julho, o Internacional inicia a participação na Audi Cup, torneio da pré-temporada européia, organizado pela empresa automobilística Audi, que está em sua segunda edição. O torneio foi criado em 2009, quando a Audi comemorou seu 100º aniversário.

Disputado no Allianz Arena, em Munich, na Alemanha, a primeira edição foi vencida pelos donos da casa, o Bayern de Munich. Este ano os convidados são Bayern Munich, Barcelona, Milan e Internacional.

O adversário inicial do Internacional será o Barcelona, clube que já tivemos alguns confrontos e sempre levamos vantagem. O mais importante, a final da Copa do Mundo FIFA de Clubes em 2006, na qual vencemos por 1x0, gol de Adriano Gabiru, em Yokohama no Japão.

Jogos (horário de Brasília):
26/07 (terça) - 13:15 - Barcelona x Internacional
26/07 (terça) - 15:45 - Bayern Munich x Milan
27/07 (quarta) - 13:15 - Perdedores dos jogos de 26/07
27/07 (quarta) - 15:45 - Vencedores dos jogos de 26/07



Como é torneio amistoso de pré-temporada européia, muitos jogadores não irão jogar. Por exemplo, os jogadores sul-americanos que estavam na Copa América não participarão, entre eles Messi, Daniel Alves, Mascherano, Adriano e Gabriel Milito do Barcelona e Alexandre Pato, Robinho e Thiago Silva do Milan.

Troféu Audi Cup
Mas o Internacional também terá seus desfalques, além dos lesionados há bastante tempo como Sorondo e Rodrigo, tivemos recentemente baixa de Guiñazu, Índio e Zé Roberto. Adicionamos aos desfalques Oscar, Juan e Romário que estão na Seleção Brasileira Sub-20. Os recém-contratados Jô e Sandro Silva não estarão ainda a disposição. Portanto, todos clubes terão desfalques.

Não pensem que o Internacional vai para a Europa à passeio. Nosso histórico mostra diversas conquistas em torneios europeus. Podemos destacar as conquistas:
1982 - Campeão da Copa Joan Gamper, em Barcelona/Espanha
1983 - Campeão do Torneio Costa do Sol, em Málaga/Espanha
1987 - Campeão do 1º Torneio Internacional de Glasgow/Escócia
1987 - Campeão do Torneio da Cidade de Vigo/Espanha
1989 - Campeão do Torneio de Celta/Espanha
2008 - Campeão da Dubai Cup, em Dubai/Emirados Árabes Unidos

Os colorados poderão acompanhar os jogos da Audi Cup ao vivo através do Sportv (canal 39 da Net), ESPN (60 e 70 da Net) e Esporte Interativo (antena parabólica ou pelo site http://www.esporteinterativo.com.br/aovivo).

A SAÍDA DE ROBERTO SIEGMANN E FALCÃO

A mudança em um departamento de futebol é algo comum na história de qualquer grande clube. O próprio Internacional já passou por diversos momentos de sua história em que foi necessário intervenção do Presidente e mudança no comando do futebol.

Fernando Carvalho passou por essa situação em 2002, quando precisou retirar Pérsio França da Vice-Presidência de Futebol na reta final do Campeonato Brasileiro de 2002 quando quase fomos rebaixados. Buscou em Ibsen Pinheiro a solução para um vestiário mais experiente e que buscasse foco para o final do campeonato.

Vitorio Piffero em 2007 iniciou sua gestão com Giovanni Luigi como Vice-Presidente de Futebol. No meio do mesmo ano solicitou ajuda para Fernando Carvalho que entrou como Diretor de Futebol. No final de 2008 inverteu as posições, com Fernando Carvalho assumindo como Vice-Presidente de Futebol e Giovanni Luigi passando para Diretor de Futebol.

Roberto Siegmann, Giovanni Luigi e Falcão
Portanto, a troca do comando de futebol, é algo normal. Mas o que espantou a todos os torcedores, imprensa e boa parte de dirigentes que tinham contato com Luigi e Siegmann foram as declarações de total falta de relacionamento entre eles.

Ouvindo Siegmann falar, chego a conclusão que o problema está na origem. Não poderia o Presidente Luigi colocar na Vice-Presidência mais importante uma pessoa que ele não tem o mínimo relacionamento ou sintonia em pensamentos.

Infelizmente, a escolha dos principais cargos nos clubes brasileiros são ainda por coligações políticas e hierarquias de movimentos políticos, não chegamos no nível ainda de ser por vocação para a área ou por integração com seus pares.

Em resumo, Luigi não deveria nem ter posto Siegmann nesta posição porque eles não conseguem trabalhar integrados e sintonizados, corrigiu um erro do início da gestão.

E Falcão? É realidade que Falcão acusou o tempo fora da função de treinador e demorou mais que esperavamos para engrenar. Muito de seu discurso não viamos em campo. Porém o time mostrava evolução, principalmente o time titular. O grupo possuia muitas deficiências e sempre que Falcão tinha desfalques ficava evidente a queda de rendimento do time. Na minha análise não tinhamos como cobrar muito de Falcão porque havia deficiências no grupo que apenas com contratações poderia solucionar. Falcão e Siegmann recentemente expressavam abertamente isso, o que trouxe desconforto para Luigi.

Na mudança do comando do futebol, também saiu o treinador. Muitos torcedores, entre eles eu, consideraram prematura a mudança do treinador. Falcão deveria continuar. Porém, na coletiva de saída do treinador, este fez fortes acusações ao Presidente e também externou que não falava com o Luigi e o relacionamento entre eles era zero. Aí começamos a entender porque Luigi mudou também o treinador.

Em dezembro participei de algumas reuniões com Aod Cunha. Reuniões de transição. Em uma das reuniões ele me perguntou qual o maior problema do Internacional. Eu respondi: "Falta de integração entre as áreas". Acontecia no passado e continua acontecendo nesta gestão. Faz parte do amadurecimento profissional que nosso clube passa.

Para Vice-Presidente de Futebol o escolhido foi Luís Anápio Gomes, que é Vice-Presidente eleito, pessoa próxima a Luigi mas sem muito conhecimento do ambiente de futebol. Trouxe corretamente Fernandão para ser seu braço direito, algo que vejo muito bom para o futuro do Internacional.

Aod Cunha que cito acima saiu em maio, considerado um erro a contratação dele por parte do Vice-Presidente Dannie Dubin, e também uma mudança houve na Diretoria de Patrimônio. Em janeiro Hélio Giaretta foi promovido a Diretor de Patrimônio, porém houve alguma mudança interna que este retornou a Gerente de Patrimônio.

Em janeiro escrevi um post sobre "A Nova Estrutura Organizacional", o organograma nestes sete meses mudou muito e algumas lacunas estão abertas. Segue abaixo o organograma atualizado.

sábado, 2 de julho de 2011

GRÊMIO CONTRATA JULINHO CAMARGO, AUXILIAR DO INTER, PARA SUBSTITUIR RENATO

Julinho Camargo no Inter em 2011
Quando todos já pensavam na abertura da Copa América, no início da noite de sexta-feira, a surpreendente notícia descoberta pela jornalista Christiane Matos toma a redação da RBS com "Julinho Camargo, auxiliar técnico do Internacional, será o novo treinador do Grêmio".

Logo a notícia se torna pública, através dos veículos de comunicação da RBS e também twitter, desta forma chegando a torcedores do Internacional e Grêmio.

Espanto geral, muitos achando que era uma barrigada da imprensa, porém ao saber que a origem era de Christiane Matos, jornalista de qualidade e que ainda valida a informação de uma fonte, começou a ter corpo e outras informações foram buscadas, através de contatos com dirigentes de Inter e Grêmio.

Por volta da meia-noite o Internacional publicou em seu site que Julinho Camargo havia se desligado do Internacional. Pronto, o Inter tinha dado a prova final que Julinho Camargo seria anunciado neste sábado pelo Grêmio.

Os colorados estão fazendo piadas da história. Pérolas foram colocadas no twitter como:
  • Bilheteiro do Inter vai para o Grêmio ser Vice-Presidente de Finanças; 
  • Tiozinho que corta a grama do Inter será o novo Engenheiro-Chefe da Arena; 
  • Porteiro do Museu do Inter assume como novo Gerente de Segurança do Olímpico; 
  • Odone confirma: Cadeiras retiradas da social do Inter serão aproveitadas na Arena; 
  • Confirmado: Arena terá uma pizzaria Don Vito; 
  • Ex-fornecedor de pipocas do Beira-Rio já negocia com Odone; 
  • Imortal contrata Tedesco para terminar a Arena; 
  • Pós greve nas obras, Grêmio desiste da Arena e compra o Eucaliptos; 
  • Julinho deixou de ser o segundo em um time de primeira para ser o primeiro em um time de segunda. 

Porém, a mais polêmica e irônica, partiu do Vice-Presidente de Futebol, Roberto Siegmann, publicado por Gabriel Cardoso: "Olha, eu não posso conceder entrevistas, mas pode colocar aí que eu tô pensando em trazer o Renato Gaúcho. É a lei da equivalência".

AVALIAÇÃO DA CONTRATAÇÃO

Odone fez uma contratação de alto risco. Primeiro porque o treinador nunca foi o principal treinador de um clube de Série A e depois porque quem saiu do Grêmio foi o maior ídolo da história, substitui-lo não será nada fácil.

Odone com Julinho em 2008
Mas tem a parte positiva. Falavam em Cuca, Celso Roth e Adilson Batista. Cuca é depressivo, prejudica o grupo. Adilson vem de sequencia de péssimos trabalhos. Adilson e Cuca treinaram o Grêmio no campeonato do rebaixamento. Com eles o Grêmio em dois meses estaria procurando novo treinador. Celso Roth costuma arrumar a casa, mas a recém saída do Inter e também algumas feridas do recente passado pelo Grêmio ainda não estavam cicatrizadas. Depois falaram em Dunga, que recusou dizendo estar ainda em férias, me parece que não sabe exatamente se quer ou não seguir a carreira de treinador. Odone fugiu da mesmice e buscou um fato novo.

Julinho Camargo, que já trabalhou na base do Grêmio e foi vitorioso com muitos dos jogadores que estão hoje nos profissionais, tem entrosamento com Paulo Odone. Não é uma aposta para o Presidente gremista. Mas precisará de muito respaldo do Presidente, pois pega um vestiário com muitos medalhões que não estão desempenhando bom futebol. Sem falar de uma torcida exigente que está ferida com a saída de seu ídolo maior e não quer ouvir piadas de Colorados.

Piadas e piadas dos Colorados, mas também nas palavras dos dirigentes e torcedores do Inter se via um descontentamento com a saída de Julinho Camargo, considerado por todos um excelente profissional e péssima hora para ter alteração na comissão técnica do Clube. O Inter que não tinha nada a ver com essa história, tem agora um buraco em sua comissão técnica.

Não se pode esperar os resultados para dar opinião, senão vira comentarista de resultados. O Grêmio acertou na contratação de Julinho Camargo, é muito trabalhador e merecia chance em um clube grande, porém, se não tiver respaldo do Odone e outros dirigentes, não passará de agosto.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

COPA AMÉRICA 2011

Hoje teremos o início da Copa América. Talvez a Copa América mais esperada dos últimos tempos, o Brasil vem com a força máxima, assim como a Argentina que não aceita outra seleção vencedora em sua casa.

O Uruguai, em ótima fase tanto na seleção como nos clubes, corre por fora na busca deste título. Porém todo mundo quer ver o desafio Messi x Neymar, já adiantando o confronto de dezembro entre Barcelona x Santos.

Minha opinião é que Mano Menezes quis acomodar Robinho e montou um time sem muito equilibrio para grandes confrontos. A entrada de Elano do Santos ou Lucas do São Paulo no lugar de Robinho entendo ser mais correta, com Neymar e Pato sendo a dupla de ataque. Outro erro de Mano Menezes foi levar Fred ao invés de Leandro Damião, Mano precisa entender que a fila anda e não perder tempo com jogador que já mostrou ser comum na seleção.

Sorte ao Brasil, serão grandes jogos e ficamos na torcida para que nossa seleção tome o rumo e comece a se estruturar para a Copa do Mundo 2014.

Messi e Neymar, o grande confronto da Copa América

Jogos do Brasil na primeira fase:
03/07/2011 - 16:00 - La Plata - Brasil x Venezuela
09/07/2011 - 16:00 - Córdoba - Brasil x Paraguai
13/07/2011 - 21:45 - Córdoba - Brasil x Equador