Quem sou eu

Minha foto
Um amante de esportes, em especial o futebol. Bacharel em Administração, pós-graduado em Finanças e Tecnologia da Informação. No futebol atuou na Vice-Presidência de Administração do Sport Club Internacional de 2007 a 2010 e de 2015 a 2016. Membro da Comissão de Laudos Técnicos dos Estádios pelo Ministério do Esporte e Coordenador-Geral de Modernização da Secretaria Nacional do Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor no Ministério do Esporte em 2011.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

DÁTOLO OU DAGOBERTO?

O início de Dátolo foi empolgante. Dois jogos, dois gols. E não foram qualquer jogos, um clássico Gre-Nal na casa do adversário e um jogo de Libertadores. Já Dagoberto não encontrou ainda seu espaço no clube, começou sem grande desenvoltura, sente o desentrosamento com companheiros e, principalmente, porque este Inter não está acostumado a jogar com dois atacantes.

Dátolo inicialmente sai prejudicado em jogos fora da Libertadores por causa da cota de 3 estrangeiros. Contra o Caxias nem foi relacionado por este motivo.

O importante é que, com a chegada de Dátolo, houve oportunidade para Dorival Jr alterar o esquema tático, conforme o adversário, e manter um ótimo nível do time em campo. Veja abaixo as duas formações que entendo ser a titular do Internacional no momento. Uma com Dátolo, outra com Dagoberto.


sábado, 4 de fevereiro de 2012

NIKE E A NOVA CAMISA DO INTERNACIONAL

A Nike, a maior potência em marcas esportivas do mundo, agora é a fornecedora oficial dos uniformes para o Sport Club Internacional.

Em uma estratégia de maior penetração nos clubes do futebol brasileiro, principalmente porque seu rival Adidas é a patrocinadora oficial da Copa do Mundo e terá muito espaço no Brasil nos próximos anos, a Nike hoje veste Internacional, Santos, Corinthians, Coritiba, Bahia. Desta forma, com estes cinco clubes, torna-se a maior fornecedora de uniformes na Serie A do campeonato brasileiro.


O novo manto do Internacional agradou de cara. Valorizando o clássico vermelho, o destaque ficou para os detalhes nas mangas brancas. Será um sucesso de vendas.

Vem um patrocinador, sai outro, mas vale a pena recordar sempre a Reebok com bons olhos. A marca chegou no clube em 2006, em substituição a Topper. Sempre foi parceira do clube, não só no futebol mas também em diversos projetos, entre eles o Museu do Internacional. Ficará eternamente em posters, vídeos, fotos, pois em sua passagens conquistamos os maiores títulos de nossa história.

Que a Nike traga ao Internacional o mesmo (ou maior) sorte, competência e tecnologia que a Reebok trouxe. Uma nova era temos pela frente com a Nike. Boa sorte na aliança destes dois gigantes.