Quem sou eu

Minha foto
Um amante de esportes, em especial o futebol. Bacharel em Administração, pós-graduado em Finanças e Tecnologia da Informação. No futebol atuou na Vice-Presidência de Administração do Sport Club Internacional de 2007 a 2010 e de 2015 a 2016. Membro da Comissão de Laudos Técnicos dos Estádios pelo Ministério do Esporte e Coordenador-Geral de Modernização da Secretaria Nacional do Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor no Ministério do Esporte em 2011.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

O NOVO BEIRA-RIO TEM QUE SER O DIFERENCIAL

A esperança de um ano de 2014 melhor que 2013 passa pelo Estádio Beira-Rio. Moderno, confortável, bonito... IMPONENTE.


Esperamos que o time seja inspirado pelo estádio e que tenha um rendimento mais digno em relação ao ano passado. Tínhamos em 2013 no papel um ótimo time, só que ficou na rabeira do Campeonato Brasileiro, mesmo com altíssima folha de pagamento e jogadores no nível de D'Alessandro, Forlán, Leandro Damião, Scocco, Alex, Juan, Kleber, entre outros.

Dunga também no papel parecia ser bom, treinador de seleção brasileira em Copa do Mundo. Paulo Paixão como preparador físico é quase uma unanimidade, mas... nada andou. Claro que fatores extracampo foram fundamentais, a falta de comando da diretoria no vestiário ficou evidente para todos.

Agora estamos em 2014. Diferente dos outros anos, estou sem um pensamento muito positivo. Olho o time atual e me dá pouca esperança, ainda mais que o centroavante titular, Rafael Moura, não demonstra merecer a confiança do torcedor.

Acredito demais em Abel Braga, esse sabe a cultura do clube, o pensamento do torcedor e tem identidade com o Internacional. Também vejo uma boa geração de garotos que podem ser aproveitados, diferente do ano passado que passamos quase nove meses sem utilizar a juventude e com um time velho.

Aliás, só peço um cuidado para o Abel. A nossa linha de frente que tu iniciou este ano tem média superior a 30 anos. Cuidado para não repetir os erros de 2013.